As empresas de comércio aumentaram em 6,9% o volume de negócios em 2017, face ao ano anterior, para 136,9 mil milhões de euros, acelerando face ao aumento de 3,5% em 2016, revelou esta segunda-feira o INE.

De acordo com o Instituto Nacional de Estatística (INE), as melhorias no comércio no ano passado registaram-se também em outros indicadores económicos, como o valor acrescentado bruto que cresceu 7,3% (acima dos 5,9% em 2016), para 17,8 mil milhões de euros, a margem comercial que subiu 6% (contra 4% em 2016) e o pessoal ao serviço que aumentou 2,5% (mais do que o aumento de 1,8% em 2016) e ultrapassou os 768 mil trabalhadores.

Segundo o INE, o comércio grossista destacou-se em 2017 ao contribuir 49,3% para o volume de negócios total do comércio, cabendo ao comércio a retalho 35,8% e os restantes 14,9% ao setor automóvel.

Em 2017 estavam a funcionar 3.496 unidades comerciais de dimensão relevante, das quais mais de metade (50,6%) dedicadas ao comércio a retalho não alimentar e o restante ao retalho alimentar.

O volume de negócios destas unidades comerciais aumentou 5,5% (acima do aumento de 5,1% em 2016), atingindo 18,3 mil milhões de euros.

O pessoal ao serviço verificou um crescimento de 4,4% (após um aumento de 1,8% em 2016) e ascendeu a 114,6 mil trabalhadores.