A Donald J. Trump Foundation chegou a um acordo de dissolução na sequência da investigação aberta pela procuradoria-geral de Nova Iorque às suas finanças. De acordo com a CNN, a polémica fundação do presidente norte-americano concordou que o processo de extinção, que não podia ser iniciado enquanto a instituição estivesse a ser investigada, seja acompanhado pelo tribunal.

A polémica em torno da fundação de Donald Trump começou em 2016, quando a procuradoria-geral de Nova Iorque abriu um inquérito às suas finanças. Em causa estão acusações de que Trump e os filhos violaram as leis de financiamento de campanha ao aceitarem um donativo de um grupo que apoiava a então procuradora-geral da Florida, Pam Bondi, em 2013. Os Trump também terão abusado da isenção de impostos a que tinham direito, explica a CNN.

“A nossa investigação revelou um chocante padrão de ilegalidade envolvendo a Trump Foundation, incluindo uma coordenação ilegal com a campanha presidencial de Trump, uma auto-negociação intencional e repetitiva e muito mais”, explicou o gabinete da procuradora-geral Barbara Underwood em comunicado, acrescentando que a fundação era “um talão de cheques que servia os negócios e os interesses políticos do senhor Trump”.

O acordo de dissolução vai agora permitir ao gabinete da procuradora-geral rever os beneficiários dos ativos da fundação. “Esta é uma vitória importante que deixa claro que as leis se aplicam a todos”, referiu ainda a procuradoria-geral de Nova Iorque, citada pela CNN. “Vamos dar continuidade ao processo para assegurar que a Trump Foundation e os seus diretores respondem pelas suas repetidas violações da lei federal e estatal.”