Os trabalhos de conservação da Ponte 25 de Abril começam já esta quarta-feira e deverão durar 720 dias, ou seja, até ao final de 2020. 

Apesar de as intervenções serem feitas em períodos onde o fluxo de trânsito é menor, as horas apontadas para a existência de maior congestionamento será aos fins de semana das 23h00 às 8h00 do dia seguinte. Ainda assim, fonte da Infraestruturas de Portugal (IP), empresa responsável pela obra, garantiu à TSF que apesar demoradas não terão qualquer impacto no trânsito.

A empreitada tem por objetivo a realização de um conjunto de trabalhos de manutenção tidos como necessários, e que foram identificados no âmbito das atividades regulares de inspeção e de monitorização do comportamento estrutural da Ponte 25 de Abril”, afirma a IP em comunicado citado pelo jornal Público.

Em novembro, o ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, tinha afirmado que os trabalhos de preservação da Ponte 25 de Abril começariam “em breve, porventura talvez ainda antes do final deste ano”, estando, na altura, a aguardar o visto do Tribunal de Contas.

A obra foi adjudicada a 20 de setembro passado pelo consórcio composto pela Somague, SMM – Sociedade de Montagens Metalomecânicas e STAP – Reparação, Consolidação e Modificação de Estrutura e irá custar ao Estado português cerca de 13 milhões de euros.

No próximo ano está programa uma nova inspeção, desta vez subaquática, para garantir a segurança dos pilares da ponte. A inspeção “tem carácter preventivo e decorrerá no segundo trimestre de 2019, no período do ano em que as condições climatéricas, do estado das marés e força da corrente do rio é mais favorável à execução do trabalho”, avançou a IP em comunicado.