Segurança Informática

Um terço dos consumidores foi vítima de ciberataques enquanto fazia compras de Natal

Um terço dos consumidores que fez compras de Natal na Internet foi vítima de ciberataque. Mais de 25% deles nunca reouve o dinheiro roubado. Maior parte dos ataques acontece por erro dos internautas.

Getty Images/iStockphoto

Quase um terço das pessoas que escolheram fazer as compras de Natal através da Internet  foi vítima de ciberataque por parte de hackers que lhe roubaram as credenciais financeiras. E mais de um quarto delas nunca recuperou o dinheiro que lhes foi retirado das contas.

Essas são as conclusões do mais recente relatório da empresa de softwares de segurança Kaspersky Lab, que alerta: “O Natal, o Ano Novo e época de saldos em janeiro de 2019 são alguns dos momentos mais críticos para a ocorrência de ataques por parte de hackers destinados a roubar dados bancários aos consumidores”.

Os dados da Kaspersky Lab sugerem que a vasta maioria dos consumidores — 93% dos quase 12,5 mil inquiridos pela empresa em 22 países — diz estar consciente das ameaças financeiras no online. Aliás, mais de metade diz-se preocupada com o facto de haver ciberatacantes que possam aceder aos dados financeiros. No entanto, esses ataques costumam acontecer por descuido dos próprios internautas: 36% dos inquiridos diz que não se lembra das páginas ou aplicações em que usou os dados financeiros, por isso gravam-nas nos sites. E usam passwords fáceis de decorar e, portanto, mais simples de adivinhar pelos hackers.

Uma em cada cinco pessoas que faz compras online na época do Natal admitiu que prefere gravar os dados financeiros diretamente nos telemóveis, computadores ou tablets. O problema? “Se os dispositivos forem roubados ou perdidos, os consumidores ficam em risco de perder as suas informações pessoais e o seu dinheiro. Qualquer pessoa passa a poder ter acesso à conta bancária, caso encontre as credenciais de acesso memorizadas diretamente no site ou nas notas”, alerta a Kaspersky Lab.

O estudo, From festive fun to password panic: Managing money online this Christmas”, informa que há outros métodos de pagamentos além dos tradicionais a ganhar popularidade: há mais gente a usar campanhas de lealdade — os que permitem acumular pontos com as compras ao longo do ano — para comprar presentes. Outras pessoas têm preferido usar métodos contactless, como o PayPass e o Apple Pay, para fazer pagamentos.

No entanto, 81% continua a preferir os cartões de crédito e débito, 65% escolhe transferências bancárias e 58% prefere usar e-wallets como o PayPal. Mas essa pode ser uma realidade em mudança porque 46% das pessoas sondadas pela empresa de cibersegurança admitiu que preferia fazer compras de Natal online se tivesse garantias de que os dados financeiros estariam mais protegidos do que estão na atualidade.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)