Quanto toca a filmes que metam carros a andar de lado, envoltos em fumo produzido pelo derrapar dos pneus, com saltos à mistura e labaredas a sair pelo escape, as obras assinadas por Ken Block são incontornáveis. Recheados de acção e emoção – e muiiiiitos pneus derretidos –, estes vídeos em que o americano de 51 anos faz de actor principal, secundário, realizador e argumentista, são uma delícia para quem gosta de condução acrobática.

Block nunca teve um emprego normal, daqueles de entrar às 9h00 e sair às 18h00. Sempre radical e motivado pelo espectáculo, o californiano iniciou-se nos desportos de acção, que atraem multidões – e muitos patrocinadores – pelo skate, antes de saltar para o snowboarding, para o motocross e por fim, já mais velho e com alguns ossos partidos, para os carros de rali e de ralicross, com que disputou provas nos dois lados do Atlântico. De negócio tradicional, apenas se lhe conhece a DC Shoes, que fundou com uns amigos, e a Hoonigan Industries, especializada em material para ‘malucos’ por automóveis. Tudo junto garante-lhe um rendimento anual estimado em 200 milhões de dólares.

Hoje é mais conhecido pelos vídeos Gymkhana que produz e já vai no 10º, sempre com um invejável naipe de patrocinadores, com destaque para as bebidas energéticas Monster e para a Ford. E à semelhança dos restantes Gymkhana, também este promete arrecadar vários milhões de visualizações, tanto mais que conta com um Fiesta do WRC com 380 cv, com que Block brinca no gelo da Suécia (em companhia de Oliver Solberg de 16 anos, filho do antigo campeão do mundo Peter Solberg), o Hoonicorn V2 de 1.400 cv que brilha no Michigan (junto à antiga estação central que a Ford vai transformar em Mobility Lab), o Focus RS RX de 650 cv com que se exibe na cidade mexicana de Guanajuato ou o Escort Cosworth RS (645 cv) com que faz malabarismos em Los Angeles.

Os melhores momentos são, eventualmente, aqueles onde a estrela é a pick-up Ford F-150 de 1977, transformada em Hoonitruck e equipada com uma versão do 3.6 V6 biturbo que equipa o Ford GT. Com 926 cv e tracção integral, como todos os outros, não há nada que a pick-up não faça, como se pode ver pelas imagens recolhidas em Shamrock, na Route 66.