Eletricidade

Projeto de 1,3 milhões de euros vai levar eletricidade a casas e explorações isoladas de Ourique

A eletricidade vai chegar a 56 casas e explorações agrícolas isoladas do concelho alentejano de Ourique, graças a um projeto de eletrificação rural "há muito ambicionado" pelos beneficiários.

O projeto traduz-se numa parceria entre o município, a empresa EDP Distribuição e os beneficiários

AHMED JALLANZO/EPA

A eletricidade vai chegar a 56 casas e explorações agrícolas isoladas do concelho alentejano de Ourique, graças a um projeto de eletrificação rural de 1,3 milhões de euros “há muito ambicionado” pelos beneficiários, foi esta quarta-feira anunciado.

Trata-se de “um projeto de extrema importância e há muito ambicionado pelo município e pelos habitantes e agricultores beneficiários”, disse à agência Lusa Marcelo Guerreiro, presidente da Câmara de Ourique, no distrito de Beja.

O projeto, uma parceria entre o município, a empresa EDP Distribuição e os beneficiários, vai permitir eletrificar casas e explorações agrícolas que “ainda não dispõem de eletricidade”, o que “parece impensável, em pleno século XXI”, em Portugal, frisou o autarca. Desta forma, sublinhou, o projeto vai “melhorar as condições de vida e de trabalho dos beneficiários, permitir atividades económicas no mundo rural e contribuir para o desenvolvimento económico sustentável do concelho”.

Em declarações à Lusa, o presidente do conselho de administração da EDP Distribuição, João Torres, defendeu que “a energia elétrica é um bem essencial que deve ser assegurado em todo o território nacional, não descurando as regiões do interior”, e, por isso, o projeto é “mais um exemplo do serviço público que a empresa presta e da proximidade que tem às populações”.

Segundo o autarca de Ourique, o município “tem a ambição de criar as condições necessários ao desenvolvimento do mundo rural” e, para tal, a eletrificação é “fundamental”.

No anterior quadro de fundos comunitários, “o município aproveitou todas as oportunidades de financiamento para eletrificações rurais”, as quais “ficaram de fora do elenco” de intervenções “apoiadas pelo atual quadro”, o Portugal 2020, disse Marcelo Guerreiro. “Infelizmente, o anterior Governo PSD/CDS-PP, que negociou o Portugal 2020, não deu prioridade às eletrificações rurais por desconhecer a realidade do interior do país”, criticou.

Por isso, o município tentou encontrar outras soluções para avançar com mais eletrificações rurais, “nomeadamente a parceria com a EDP Distribuição”, que vai permitir o projeto.

Segundo dados prestados à Lusa pelo autarca e pela EDP Distribuição, o projeto, que vai ser executado em duas fases, pretende eletrificar 38 montes e poderá abranger 56 locais de consumo, entre casas e explorações agrícolas. O projeto vai ser cofinanciado em 85% pela EDP Distribuição, a responsável pela instalação das infraestruturas elétricas, e em 15% pelo município e pelos beneficiários.

A primeira fase do projeto, num investimento de 506 mil euros, vai ligar à rede elétrica nacional 14 montes para beneficiar 20 locais de consumo. Os trabalhos da primeira fase vão começar em janeiro e terminar até ao final de 2019 e incluir a instalação de oito quilómetros de linhas aéreas de média tensão, nove quilómetros de linhas aéreas de baixa tensão e 11 postos de transformação.

A segunda fase, num investimento de 794 mil euros, a executar em 2020, deverá ligar à rede elétrica nacional 24 montes e poderá beneficiar 36 locais de consumo.

O contrato para execução da primeira fase do projeto vai ser assinado entre o município e a EDP Distribuição, na quinta-feira, numa cerimónia marcada para as 14h30, na Biblioteca Municipal de Ourique, e que deverá contar com a presença do secretário de Estado da Energia.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)