Rádio Observador

Eletricidade

Projeto de 1,3 milhões de euros vai levar eletricidade a casas e explorações isoladas de Ourique

A eletricidade vai chegar a 56 casas e explorações agrícolas isoladas do concelho alentejano de Ourique, graças a um projeto de eletrificação rural "há muito ambicionado" pelos beneficiários.

O projeto traduz-se numa parceria entre o município, a empresa EDP Distribuição e os beneficiários

AHMED JALLANZO/EPA

A eletricidade vai chegar a 56 casas e explorações agrícolas isoladas do concelho alentejano de Ourique, graças a um projeto de eletrificação rural de 1,3 milhões de euros “há muito ambicionado” pelos beneficiários, foi esta quarta-feira anunciado.

Trata-se de “um projeto de extrema importância e há muito ambicionado pelo município e pelos habitantes e agricultores beneficiários”, disse à agência Lusa Marcelo Guerreiro, presidente da Câmara de Ourique, no distrito de Beja.

O projeto, uma parceria entre o município, a empresa EDP Distribuição e os beneficiários, vai permitir eletrificar casas e explorações agrícolas que “ainda não dispõem de eletricidade”, o que “parece impensável, em pleno século XXI”, em Portugal, frisou o autarca. Desta forma, sublinhou, o projeto vai “melhorar as condições de vida e de trabalho dos beneficiários, permitir atividades económicas no mundo rural e contribuir para o desenvolvimento económico sustentável do concelho”.

Em declarações à Lusa, o presidente do conselho de administração da EDP Distribuição, João Torres, defendeu que “a energia elétrica é um bem essencial que deve ser assegurado em todo o território nacional, não descurando as regiões do interior”, e, por isso, o projeto é “mais um exemplo do serviço público que a empresa presta e da proximidade que tem às populações”.

Segundo o autarca de Ourique, o município “tem a ambição de criar as condições necessários ao desenvolvimento do mundo rural” e, para tal, a eletrificação é “fundamental”.

No anterior quadro de fundos comunitários, “o município aproveitou todas as oportunidades de financiamento para eletrificações rurais”, as quais “ficaram de fora do elenco” de intervenções “apoiadas pelo atual quadro”, o Portugal 2020, disse Marcelo Guerreiro. “Infelizmente, o anterior Governo PSD/CDS-PP, que negociou o Portugal 2020, não deu prioridade às eletrificações rurais por desconhecer a realidade do interior do país”, criticou.

Por isso, o município tentou encontrar outras soluções para avançar com mais eletrificações rurais, “nomeadamente a parceria com a EDP Distribuição”, que vai permitir o projeto.

Segundo dados prestados à Lusa pelo autarca e pela EDP Distribuição, o projeto, que vai ser executado em duas fases, pretende eletrificar 38 montes e poderá abranger 56 locais de consumo, entre casas e explorações agrícolas. O projeto vai ser cofinanciado em 85% pela EDP Distribuição, a responsável pela instalação das infraestruturas elétricas, e em 15% pelo município e pelos beneficiários.

A primeira fase do projeto, num investimento de 506 mil euros, vai ligar à rede elétrica nacional 14 montes para beneficiar 20 locais de consumo. Os trabalhos da primeira fase vão começar em janeiro e terminar até ao final de 2019 e incluir a instalação de oito quilómetros de linhas aéreas de média tensão, nove quilómetros de linhas aéreas de baixa tensão e 11 postos de transformação.

A segunda fase, num investimento de 794 mil euros, a executar em 2020, deverá ligar à rede elétrica nacional 24 montes e poderá beneficiar 36 locais de consumo.

O contrato para execução da primeira fase do projeto vai ser assinado entre o município e a EDP Distribuição, na quinta-feira, numa cerimónia marcada para as 14h30, na Biblioteca Municipal de Ourique, e que deverá contar com a presença do secretário de Estado da Energia.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)