O eurodeputado, João Ferreira, que vai voltar a ser cabeça de lista às eleições para o Parlamento Europeu, considera que mesmo que Portugal abandonasse o Tratado Orçamental não se livraria de “constrangimentos e imposições que hoje impedem os seu desenvolvimento”. Em entrevista ao jornal Público (link não disponível), o político de 40 anos diz, no entanto, que não há necessidade de Portugal sair da União Europeia desde que “faça prevalecer” as suas políticas.

João Ferreira repetiu o que há muito a CDU prega: que rejeita completamente o Tratado Orçamental, até porque alega que Portugal já chegou, só com o euro, a um “dos países mais endividados do mundo”, com o dobro do desemprego e com uma estagnação salarial evidente, O eurodeputado chega a admitir referendar a saída de Portugal da zona euro. Voltando a ter moeda própria, como o Reino Unido sempre teve. “Há muitas redundâncias na legislação da UE sobre a governação económica, o semestre europeu, o pacto da estabilidade revisto”, prossegue. “Temos de ultrapassar essa situação e recuperar a soberania monetária do País”, disse depois.

O eurodeputado, que também é biólogo, foi também interrogado sobre uma possível nova geringonça como modelo e de governo. João Ferreira referiu que isso dependeria do objetivo do partido eleito. “Se é um governo para defender os interesses que têm sido defendidos pelos sucessivos governos, ninguém imagina que possa contar com o PCP. Agora, se temos um Governo para romper com os bloqueios que têm sido impostos ao desenvolvimento do País, se queremos um governo para criar mais  emprego e riqueza e a distribuir de forma justa a riqueza que cria, melhorando salários, direitos e serviços públicos. Aí eu dizia que esse governo não existirá sem o PCP”, disse.

Na entrevista, o político fala ainda na questão dos migrantes, considerando que Portugal tem tido uma “posição correta”, não acontecendo o mesmo com alguns países da União Europeia. Fala ainda do Brexit e de uma possível aliança política com o partido que, ganhando, partilhe com ele ideiais idênticos.