O Presidente da República apelou esta quinta-feira à defesa da democracia contra o “aventureirismo de realidades fora do sistema”, considerando que Portugal deve recordar-se da experiência da ditadura para “não querer ensaiá-la outra vez”.

Marcelo Rebelo de Sousa deixou esta mensagem durante uma sessão de apresentação de cumprimentos de boas festas por parte do Governo, na Sala dos Embaixadores do Palácio de Belém, declarando-se confiante de que os portugueses “não trocam a democracia por uma ditadura”.

Ainda assim, o chefe de Estado aproveitou esta ocasião para advertir que, “a pretexto de ensaiar novas fórmulas que se dizem democráticas iliberais ou na margem da democracia”, há a possibilidade de “rapidamente resvalar para ditaduras”.

“Isto de saber que é preferível a segurança da democracia, na diversidade de opiniões, ao aventureirismo de realidades fora do sistema é uma grande riqueza nacional. Tem sido uma riqueza nacional e vai continuar a ser uma riqueza nacional”, afirmou.

Em seguida, apelou: “Essa é uma riqueza que não podemos perder. Para quem teve ainda há não muito tempo a experiência de uma ditadura, nada como ter presente essa experiência para não querer ensaiá-la outra vez”.