O Ministério do Mar procedeu ao pagamento, através do Instituto de Financiamento da Agricultura e Pescas (IFAP), de quase 1,4 mil milhões de euros aos pescadores pela paragem temporária da captura da sardinha, foi anunciado.

“O Ministério do Mar procedeu hoje ao pagamento dos primeiros apoios aos pescadores da pesca da sardinha, como compensação pela paragem temporária da atividade, em 2018, motivada pela preservação deste recurso”, anunciou, em comunicado o ministério liderado por Ana Paula Vitorino.

Desta forma, através do IFAP, “foram hoje liquidados 1.378 mil euros correspondentes às primeiras candidaturas, abrangendo, de imediato, 400 pescadores e 45 embarcações”.

Em 26 de outubro, o Governo estipulou, de acordo com uma portaria publicada em Diário da República, o pagamento de 2.040 euros ao mestre da embarcação e 1.920 euros aos demais pescadores.

Para proteger o ‘stock’ da sardinha, e na sequência da recomendação do Conselho Internacional para a Exploração do Mar (ICES, na sigla em inglês), de pesca zero, Portugal e Espanha, com acordo da Comissão Europeia, definiram um plano de pesca, no qual ficou estabelecido que o limite de capturas, a dividir entre os dois países, deveria ser de 12.028 toneladas durante a época de pesca, dirigida até ao final de setembro.

Por outro lado, o Governo definiu que as embarcações licenciadas a operar desde a Galiza ao Golfo do Cádis estavam interditas de exercer a atividade entre 01 de novembro e 15 de maio de 2019.

Adicionalmente, foram estabelecidos, em concertação com o setor, limites de captura diários de proteção dos juvenis, zonas de interdição temporária e fecho da pesca à quarta-feira e ao fim de semana.

A reabertura da pesca da sardinha está prevista a partir de 16 de maio de 2019.