Numa mensagem relativamente curta, a Porsche informou que “devido a um problema de software, existe a possibilidade da assistência eléctrica da direcção poder ocasionalmente ser desactivada por um determinado período”, sendo de esperar que, com os pneus largos e de grande diâmetro que a marca alemã monta nos seus modelos, o esforço passe a ser muito superior, levando os condutores a perderem o controlo sobre a volante.

A Porsche admite que “caso a avaria aconteça, será necessário uma força superior para girar o volante, pelo que o problema tem de ser solucionado reprogramando a unidade, bem como actualizando o sofware”. Contudo, a marca não revelou como tomou conhecimento do problema, se através da análise de acidentes que possam ter existido, se através de reclamações de clientes ou de testes internos.

Em causa estão os Panamera fabricados entre 21 de Março de 2016 e 8 de Dezembro de 2018, o que abrange um total de 74.585 veículos, muito provavelmente todos os que foram fabricados no mencionado período. De recordar que a actual geração do Panamera foi introduzida em 2016, tendo estreado um novo sistema de direcção electromecânica, sendo exactamente aí que reside a avaria.

A marca vai informar os clientes que têm de visitar a oficina, bem como o motivo que leva a essa intervenção extraordinária, mas face ao descrito na informação do construtor, a situação pode ser mais perigosa do que parece. Não será grave se a falha na assistência tiver lugar a circular a direito, a baixa velocidade em cidade, condições que permitirão ao condutor aperceber-se do problema e lidar com ele, tal como tão pouco será difícil de solucionar se acontecer durante uma manobra de estacionamento, em que o condutor terá que optar por transpirar um pouco mais ou, em alternativa, procurar um lugar para parquear que exija menos manobras. Mas a meio de uma curva em estrada, a uma velocidade normal, uma falha brusca da assistência facilmente pode conduzir a um despiste com graves implicações. E se quer ver até que ponto a direcção fica mais pesada sem assistência, tente girar o volante com o carro parado e o motor a funcionar, para depois repetir o teste, mas com o motor desligado. É potencialmente assim que vai ficar a direcção a meio da curva, caso fique sem assistência, descontando o efeito da velocidade do veículo na altura.