As autoridades angolanas advertiram esta segunda-feira que em cada 10 produtos suspeitos e analisados a nível laboratorial três são “impróprios para o consumo humano”, nomeadamente “frescos e laticínios”, tendo apelado à sociedade para “atenção redobrada”, noticia a rádio pública.

A informação foi transmitida pelo diretor geral do Laboratório Nacional de Controlo da Qualidade de Angola, José Alberto Sofia, que indicou que a instituição recebe por semana 10 amostras de produtos consumíveis, sobretudo do mercado formal, suspeitos e que “34% são confirmados como impróprios”.

Segundo José Alberto Sofia, que se diz “preocupado” com a situação, os frescos, como frangos, carne de porco e laticínios, como iogurte gelados, lideram a lista de produtos impróprios confirmados pelo laboratório afeto ao ministério do Comércio angolano.

José Alberto Sofia frisou que a instituição pública tem um défice de cerca de 300 profissionais e que, por isso, debate-se com alguma “incapacidade” para monitorar a qualidade dos produtos do extenso mercado informal angolano.