O exército israelita disparou este domingo contra “suspeitos armados” que cruzaram a Linha Alfa a partir da Síria, perto da cerca de separação entre este país e o território sírio ocupado por Israel dos Montes Golã.

“Há uns momentos as Forças de Defesa de Israel detetaram suspeitos armados que cruzavam a Linha Alfa dentro de Israel, perto da fronteira com a Síria dos Montes Golã. Em resposta, as tropas dispararam contra eles. Não se registaram feridos nos soldados israelitas”, informou o Exército num comunicado divulgado cerca das 23h locais (21h em Lisboa).

Uma porta-voz militar questionado pela agência de notícias espanhola Efe não soube precisar se houve baixas do lado dos suspeitos. A responsável explicou que a resposta de Israel faz parte da “política de impedir violações da soberania israelita e dos acordos de 1974”.

O incidente, pouco comum na região, acontece poucos dias depois de os Estados Unidos terem anunciado que iam retirar as suas tropas da Síria, a braços com um conflito armado desde 2011.

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, assegurou este domingo que a decisão anunciada pelo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, não alterará a política israelita de “continuar atuando contra as intenções do Irão de se estabelecer militarmente na Síria”.