Independentemente de se ser fã ou não de Ayrton Senna, ninguém contesta que o brasileiro que passou fugazmente pela Fórmula 1 era um prodígio da condução nos limites e,  muitas vezes, para além deles. Em 1988 assinou um contrato com a equipa McLaren e, aos comandos do MP4/4, com as bela decoração da Marlboro, sagrou-se campeão do mundo nessa mesma época.

Para celebrar esse início da associação com o piloto brasileiro, a McLaren aceitou produzir uma versão especial do seu P1 GTR, o mais potente, eficaz e espectacular dos seus veículos de estrada. Entre outros pormenores, este McLaren teria de ser decorado com as cores da Marlboro dos anos 90 e de acordo com as proporções exibidas pelo MP4/4, equipado com um motor 1.5V6 Turbo.

O McLaren P1 GTR foi um desportivo infernal, em termos de potência, sofisticação e eficácia, com um motor 3.8 V8 biturbo associado a um motor eléctrico, capaz de, em conjunto, fornecer 916 cv. Impressionante, se considerarmos que foi apresentado em 2012, no Salão de Paris, para depois ser fabricado entre Outubro de 2013 e Dezembro de 2015. Durante este período, foram igualmente fabricados o Ferrari LaFerrari e o Porsche 918, com o superdesportivo alemão a ser o mais lento dos três, numa volta ao circuito de Silverstone.

Depois das iniciais 375 unidades do McLaren P1, foram fabricadas 58 unidades do P1 GTR e apenas mais cinco do P1 LM, que encerrou a produção com estas versões pensadas especialmente para pista.

A McLaren não revelou quem foi o cliente que colocou a encomenda e, muito menos, quanto pagou por ela, sendo estranho que este não tenha optado pelo novo McLaren Senna. Muito provavelmente porque este apenas possui um motor térmico, com 800 cv e não está homologado para circular em estrada. Veja aqui como é o McLaren P1 GTR: