A família real dos Emirados Árabes Unidos (EAU) partilhou várias fotografias da princesa Sheikha Latifa, desaparecida desde março, depois de várias testemunhas garantirem que esta tinha sido raptada ao largo da costa da Índia após tentar fugir de casa. A princesa de 33 anos surge nas fotografias ao lado de Mary Robinson, antiga presidente da Irlanda e ex-Alta-Comissária das Nações Unidas para os Direitos Humanos, que fez uma visita oficial aos EAU no passado dia 15 de dezembro.

“Fotografias tiradas durante a tarde que passaram juntas foram partilhadas, com o consenso de ambas. Durante a sua visita ao Dubai, Mary Robinson foi reassegurada de que Sua Alteza Sheikha Latifa está a receber os cuidados necessários e o apoio de que precisa. Este comunicado responde a e rejeita as alegações falsas e demonstra provas que mostram que Sua Alteza está em casa e a viver com a família no Dubai”, afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros dos EAU, que já tinha garantido no início do mês que a princesa estava em casa “de livre vontade”.

Sheikha Latifa, filha do líder dos EAU, o sheikh Mohammed bin Rashid al-Maktoum, terá tentado fugir de casa em março. O The Guardian conta que, com a ajuda de um professor de capoeira finlandês e um antigo espião francês, a princesa deixou o país de origem em direção a Omã, para depois viajar de jetski ao longo de 42 quilómetros, até chegar a águas internacionais. Foi depois resgatada pelo iate de Hervé Jaubert, o antigo espião, até Goa. Terá sido à chegada à costa da Índia que, de acordo com testemunhas, vários homens armados entraram no barco e levaram Sheikha Latifa de helicóptero. Desde aí, a conta de Instagram da princesa foi apagada e esta não voltou a ser vista — até esta segunda-feira, dia em que a família decidiu publicar as fotografias com Mary Robinson para provar que Sheikha Latifa está em casa, no Dubai.

Num vídeo gravado antes da alegada tentativa de fuga — e que Sheikha Latifa terá pedido aos amigos para divulgar caso a fuga falhasse –, a princesa revelava que tenta fugir há sete anos e que receava ser torturada caso fosse apanhada. As autoridades do país garantem que a versão da fuga é “ficção”, que a princesa é “vulnerável a explorações” e que esta foi raptada por Hervé Jaubert. De recordar que Shamsa, irmã mais velha de Sheikha Latifa, também tentou fugir dos EAU, em 2000. E também falhou.