República do Congo

Líderes dos Grandes Lagos avaliam situação política em Brazzaville

Os líderes dos países da região dos Grandes Lagos africanos reúnem-se na quarta-feira em Brazzaville numa cimeira destinada a analisar a situação política no centro do continente africano.

LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Os líderes dos países da região dos Grandes Lagos africanos reúnem-se na quarta-feira em Brazzaville numa cimeira destinada a analisar a situação política no centro do continente africano, nomeadamente o processo eleitoral na República Democrática do Congo.

De acordo com uma nota de imprensa da Casa Civil do Presidente da República de Angola enviada hoje à agência Lusa, em Luanda, esta cimeira é uma iniciativa do chefe de Estado da República do Congo e presidente em exercício da Conferência Internacional para a Região dos Grandes Lagos (CIRGL), Denis Sassou Nguesso.

O Presidente de Angola, João Lourenço, é um dos chefes de Estado que marca presença nesta cimeira, que vai decorrer na capital da República do Congo, indicou a Casa Civil, na mesma nota.

A República Democrática do Congo — que partilha uma extensa fronteira com a República do Congo e com Angola – realiza eleições gerais a 30 de dezembro, que vão permitir eleger o sucessor de Joseph Kabila.

As eleições, que já deviam ter acontecido em 2016, estavam inicialmente marcadas para 23 de dezembro, mas foram adiadas por uma semana devido à destruição de centenas de urnas eletrónicas num incêndio ocorrido este mês, já em pleno período de campanha eleitoral.

A capital da República Democrática do Congo, Kinshasa, e outras regiões do país têm vivido dias de tensão política, assunto que estará em reflexão nesta cimeira da CIRGL.

As eleições de 30 de dezembro na República Democrática do Congo irão permitir ainda a escolha de representantes parlamentares a nível nacional e provincial.

O Presidente cessante, Joseph Kabila, escolheu o ex-ministro do Interior Emmanuel Ramazani Shadary para seu ‘delfim’, nas presidenciais.

Desde a sua independência do poder belga, em 1960, a RDCongo nunca testemunhou uma transição política pacífica.

Criada em 1994, a CIRGL integra Angola, Burundi, República Centro-Africana, República do Congo, República Democrática do Congo, Quénia, Uganda, Ruanda, Sudão, Sudão do Sul, Tanzânia e Zâmbia.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)