Papa Francisco

Papa Francisco pede para se ultrapassar as diferenças em mensagem de Natal

Na mensagem de Natal desta terça-feira, o Papa Francisco apelou à resolução dos conflitos na Venezuela e Nicarágua, afirmando que as diferenças que separam a humanidade podem ser uma "mais-valia".

ANGELO CARCONI/EPA

O Papa Francisco disse esta terça-feira que as diferenças “não são um defeito” ou “um perigo”, mas uma “mais-valia”, durante a tradicional mensagem de Natal, em que abordou também as questões que afetam a Venezuela e a Nicarágua.

“As diferenças não são um defeito ou um perigo, são uma riqueza”, disse o Papa Francisco na tradicional mensagem de Natal, na Basílica de S. Pedro. “Somos todos irmãos”, sublinhou ainda.

O chefe da Igreja Católica manifestou o seu desejo de que a Venezuela possa encontrar “concórdia” e que, na Nicarágua, se chegue a uma “reconciliação”.

O Papa Francisco pediu ainda pelos povos “que sofrem colonizações ideológicas, culturais e económicas, vendo lacerada a sua liberdade e a sua identidade, e que sofrem de fome e falta de serviços educativos e sanitários”.

Desejou assim, nesta quadra natalícia, “fraternidade entre pessoas de todas as nações e culturas”, entre “pessoas com ideias diferentes, mas capazes de se respeitar e de se escutar”, e entre pessoas de diversas religiões.

Também durante a missa do Galo — celebrada na véspera de Natal — o sumo pontífice apelou para que se contrarie o consumismo e o egoísmo e que se reflita sobre o que realmente se precisa e, assim, se possa prescindir do que é supérfluo e partilhar com os que nada têm.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Demografia

Envelhecimento e crescimento económico /premium

Manuel Villaverde Cabral

Nada é mais importante para países como Portugal do que o imparável envelhecimento da população e as suas consequências a todos os níveis da sociedade, da saúde ao potencial de crescimento económico.

Crónica

Amorfo da mãe /premium

José Diogo Quintela

O Governo deve também permitir que, no dia seguinte ao trauma que é abandonar a criança no cárcere escolar, o progenitor vá trabalhar acompanhado pelo seu próprio progenitor. Caso precise de colinho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)