O objetivo do fotógrafo Rafael Carvalho era capturar em imagens o que o gabinete de “transição governamental” do presidente eleito brasileiro Jair Bolsonaro anda a preparar, mas nas redes sociais as fotografias foram partilhadas como se tivessem sido tiradas como forma de protesto. Com as frases de fundo de “transição governamental”, o enquadramento de algumas fotografias com a cara de Bolsonaro e futuros ministros criou as palavras “traição”, “anta” ou “verme”.

“O meu trabalho na transição é voluntário, publiquei mais de 2.600 fotos e estão, infelizmente, falando dessas”, contou Rafael Carvalho à revista Veja, que avançou a notícia. As fotografias foram inicialmente partilhadas no Flickr numa página oficial do Governo de Transição, mas as que tinham ângulos que criavam as palavras polémicas rapidamente ficaram virais no Twitter.

O YouTuber brasileiro Filipe Neto, que tem mais de 28 milhões de seguidores no YouTube e 8 milhões no Twitter, foi uma das pessoas que partilharam as polémicas fotografias.

Outros utilizadores da rede social fizeram o mesmo.

Apesar de alguns enquadramentos de fotografias criarem as palavras ofensivas para os políticos que aparecem nas imagens, muitas foram cortadas de forma a salientar as ofensas que surgem no fundo. Em cima, vemos um exemplo de um imagem editada. Em baixo, a mesma imagem completa, apesar de ainda se poder ler “verme” no fundo, fica menos percetível quando surge completa como foi partilhada no Flickr.

As fotografias que criaram maior polémica foram, entretanto, apagadas da rede social na tarde desta segunda-feira.

Gustavo Lopes, coordenador de comunicação do gabinete de transição governamental defendeu o fotógrafo, afirmando: “o Rafael é um profissional excelente e tem feito um ótimo trabalho”. Quanto às fotografias, o responsável de comunicação da equipa de Bolsonaro disse ainda: “o nosso foco principal é mostrar à sociedade o trabalho desenvolvido no gabinete de transição, de forma transparente”.

Jair Bolsonaro vai tomar posse como Presidente do Brasil a 1 de janeiro de 2019.