Estados Unidos da América

EUA fazem novos exames a menores sob sua custódia após morte de segunda criança migrante

As autoridades dos EUA vão realizar novos exames médicos a todos os menores sob a sua custódia, após a morte de uma segunda criança migrante este mês. Os exames serão feitos a crianças até 10 anos.

A 8 de dezembro, uma menina de sete anos, também de nacionalidade guatemalteca, morreu de desidratação, dois dias depois de ter atravessado ilegalmente a fronteira do México para os Estados Unidos

EDWIN BERCIAN/EPA

As autoridades norte-americanas informaram que estão a realizar novos exames médicos em todos os menores que estão sob sua custódia, uma ação que surge após a morte de uma segunda criança migrante este mês. A autoridade de vigilância das fronteiras, a Customs and Border Protection (CBP), informou na terça-feira em comunicado que está a focar os exames nas crianças com idades até aos dez anos.

Uma criança de oito anos da Guatemala morreu sob custódia do Governo dos Estados Unidos. O rapaz morreu esta terça-feira pouco depois da meia noite do dia de Natal.

A criança mostrou “sinais potenciais de doença” na segunda-feira e foi levada, juntamente com o pai, a um hospital em Alamogordo, no Estado do Novo México, onde lhe foi diagnosticada uma gripe e febre, sendo-lhe receitado amoxicilina e ibuprofeno. O menino voltou ao hospital à noite com náuseas e vómitos e morreu quatro horas depois, segundo a CBP.

A 8 de dezembro, uma menina de sete, também de nacionalidade guatemalteca, morreu de desidratação, dois dias depois de, juntamente com a sua família, ter atravessado ilegalmente a fronteira do México para os Estados Unidos. O corpo da criança, Jakelin Caal, foi devolvido à remota aldeia da sua família na segunda-feira.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Sri Lanka

Ataque terrorista à geografia humana de Portugal

Vitório Rosário Cardoso

É quase indissociável desde o século XVI na Ásia marítima a questão de se ser católico e de se ser Português porque afirmando-se católico no Oriente era o mesmo que dizer ser-se Português. 

Sindicatos

Vivam as greves livres

Nuno Cerejeira Namora

Estes movimentos têm de ser encarados como o sintoma de um mal maior: a falência do sindicalismo tradicional e a sua incapacidade de dar resposta às legítimas aspirações dos seus filiados.

Sri Lanka

Ataque terrorista à geografia humana de Portugal

Vitório Rosário Cardoso

É quase indissociável desde o século XVI na Ásia marítima a questão de se ser católico e de se ser Português porque afirmando-se católico no Oriente era o mesmo que dizer ser-se Português. 

Museus

Preservação do Património Cultural

Bernardo Cabral Meneses

As catástrofes ocorridas no Rio de Janeiro e em Paris deverão servir de exemplo para ser reforçada a segurança contra incêndios nos edifícios e em particular nos museus portugueses.

Liberdades

Graus de liberdade /premium

Teresa Espassandim

Ninguém poderá afirmar que é inteiramente livre, que pouco ou nada o condiciona, como se a liberdade significasse tão só e apenas a ausência de submissão e de servidão.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)