Bailes de máscaras, funk brasileiro, rock alternativo, música eletrónica: as opções são muitas. Entre Lisboa e Porto haverá uma série de festas de Ano Novo onde vai poder entrar com o pé direito em 2019. Na lista que se segue vai encontrar um descritivo de várias delas para que depois não se tenha de lamentar quando souber da diversão que podia ter tido. É escolher, levar as passas no bolso, a roupa interior azul e já está.

Lisboa

Revengeillon Noventeiro; Coliseu dos Recreios; das 22hàs 6h (entrada até à 1h); 50€ por pessoa (c/uma cerveja e uma bebida branca)

A menos que tenha vivido numa caverna nos últimos tempos, seguramente já ouviu falar do Revenge of the 90’s, um grupo de saudosistas dessa década plena em pirosada que traz aos tempos de hoje fenómenos como os pega-monstros, as calças largas e os ténis de skate gigantescos. Para o fim-de-ano têm planeado um autêntico circo que irá decorrer no Coliseu dos Recreios e que terá como grande cabeça de cartaz o grupo alemão Bellini, autores do mega-êxito “Samba de Janeiro”. A juntar a isso há ainda os DJs da casa, que farão toda a gente dançar ao som dos grandes êxitos do não-tão-antigamente. Prepare-se porque nestas festas há sempre muitas surpresas.

Girls on Indie + Altamont NYE; O Bom, o Mau e o Vilão, R. do Alecrim, 21; das 22h às 3h; Grátis

A zona do Cais do Sodré é cada vez mais o coração da noite lisboeta e — aproveitando a metáfora — as noites de indie-rock d’O Bom, o Mau e o Vilão já se tornaram numa das suas artérias principais. Para a noite de 31 de dezembro está previsto mais um festival de música boa com a cabine de DJ a atingir o seu limite de ocupação: ao disc-jockey do Altamont (site de musica já com mais de dez anos de vida) junta-se o coletivo Girls on Indie que trará a dose certa de “girl power” a uma noite que se quer de dança. Muita.

NYE Baile Tropicante com La Flama Blanca, Consuelo e Ferrary; Musicbox, R. Nova do Carvalho, 24; das 23h59 às 6h; 15€ (pré-venda com direito a bebida), 20€ no dia

Há umas linhas falava-se do sistema circulatório da movida lisboeta e do seu centro nevrálgico ser a zona da “Rua Cor-de-Rosa” e arredores. Mantendo a linha narrativa, é impossível não dizer que são estes Bailes Tropicantes que fazem bombar o sangue que alimenta as muitas noites bem passadas que por aqui se vivem. No dia em que se salta do 18 para o 19 vai haver um destes festivais de musica latina que ficará a cargo do já incontornável La Flama Blanca, mestre DJ de tudo o que seja cancioneiro sul-americano. A ele juntam-se Consuelo — alter-ego do já conhecido A Boy Named Sue — e Ferrary, persona fictícia de Francisco Ferreira, teclista dos Capitão Fausto. Esperam-se temperaturas elevadas e muito salero.

Ena Pá 2019! Reiveilhão-Baile de máscaras; Titanic Sur Mer, Cais da Ribeira Nova, Armazém B; das 22h30 às 6h; €25 (2 cervejas ou 1 bebida branca; 1/2 garrafa de espumante; bolo rei/rainha e passas), 20€ (a partir das 24h30 com 2 bebidas brancas), 10€ (a partir das 4h com oferta de 2 cervejas)

O carismático Manuel João Vieira já fez das suas festas de passagem de ano motivo de peregrinação. Data a pós data, ele e os seus companheiros já têm a fama de organizar algumas das celebrações mais mirabolantes e divertidas do país e no próximo dia 31 isso não vai mudar. Em formato baile de máscaras (haverá um prémio para o pior mascarado), este reveillon será animado pelos icónicos Irmãos Catita, os Ena Pá 2019 e toda uma trupe de músicos e artistas que tratam o surreal por tu. Na descrição da festa é ainda mencionada a presença do “espumante Caves Vieira” — não seria uma passagem de ano se não houvessem bolhinhas no seu copo — e ainda um discurso do Candidato Vieira.

Revelhão na Fábrica Musa, Rua do Açúcar, 83, Marvila; das 22h às 6h; 10€ (pré-venda) ou 15€ (no dia)

A cidade de Lisboa está a mudar cada vez mais e isso nota-se ao ver que zonas mais limítrofes começam a ganhar destaque. A área de Marvila, por exemplo, costumava-se ser um grande polo fabril mas nos últimos dois anos, mais coisa menos coisa, passou ganhou o pomposo nome de “Lisbon Beer District”. Como o anglicismo explica, antigos armazéns transformaram-se em fábricas de cerveja e é numa delas, a da Musa, que vai poder brindar com cevada e bailar na companhia musical escolhida pela editora independente Filho Único. As festividades vão começar logo às 22h com concertos de Éme, Sreya e Hipster Pimba, mas o bailarico continua noite dentro com atuações de DJ Firmeza, Sar ou Black. Ora aqui está uma boa desculpa para trocar as passas e champanhe por cerveja e tremoços.

B.Leza Clube, Cais da Ribeira Nova, Armazém B; das 22h30 às 5h; 20€

A capital já tens poucos sítios como este clube dedicado à música africana de qualidade. Com o Tejo como pano de fundo, o B.Leza continua a manter o espírito de uma Lisboa de outros tempos onde existiam danceterias em vez de discotecas, salões de baile em vez de rooftops. Com uma banda a tocar ao vivo quase todas as noites, esta casa é sempre frequentada por quem simplesmente quer dançar (a sério!) e divertir-se. É constante o “perigo” de sermos levados pela mão por algum dançarino mais afoito e o truque é simplesmente deixar-se levar. Na noite de fim-de-ano vai haver um concerto especial, protagonizado pela lenda do funaná Zeca di Nha Reinalda, que se fará seguir por uma atuação da banda da casa e um DJ set dentro do mesmo estilo. Se optar passar por aqui pode ter a certeza que vai transpirar e dançar como nunca.

Porto

Virada no Maus Hábitos; Rua Passos Manuel, 178, 4º andar; das 23h às 6h; 10€

“Passar o ano da forma mais quente possível” — é desta forma que o Maus Hábitos, espaço cultural e sala de concertos no coração da Invicta, descreve a festa que tem preparada para a noite de dia 31 de dezembro. Entre as últimas horas de 2018 e as primeiras de 2019 até as paredes vão suar com toda a tropicalidade que nomes como DJ Quesadilla (que atuará ao lado de Xico da Ladra no Salão Nobre) ou o grupo Cumbadélica vão debitar. O conjunto vai encerrar a noite na Sala de Espetáculos.

Dias da Internet; Café Au Lait, Rua Galeria de Paris, 46; das 23h30 às 4h; Grátis

Novas tecnologias dão azo a novos ícones, é um sinal da modernidade. Nuno Dias faz parte desse pelotão de ilustres desconhecidos que movimentam likes e partilhas como ninguém, principalmente na página humorística de futebol que gere, o Um Azar do Kralj. A sua vida profissional faz com que conheça de perto o mundo da música (indie, principalmente), e foi a porta de entrada para uma carreira de DJ que já impõe respeito. Entre Beyoncé e Deftones, The National e Jamie XX fará a festa que promete ser rija.

Raveillon Tropico-Diabólico; Cantinho da Mimi, R. da Alegria, 814; das 23h às 7h; 5€ (pré-venda) e 7€ (no dia)

Há claramente uma invasão tropical a assolar o norte do país, basta olhar para a temática recorrente nas festas de fim de ano. Neste serão vão haver três momentos especiais: o primeiro é com a Tropacáustica e o seu giradisquismo totalmente dedicado a todo e qualquer género musical que faça mexer o corpo (do semba ao funk, passando pelo samba e a cumbia); logo a seguir à momento non-sense patrocionado pela dupla Dj Urânio & Mc Sissi, uma misturada de “non-sense techno” com “chunga beat” — nomenclatura criada pelos próprios. Finalmente sobra o palco para o Dj Meddle, o encarregado de levar a noite/madrugada a bom porto.

Nova Vaga#1; Pérola Negra Club, R. Gonçalo Cristovão, 288; 23h30 às 7h; 15€ (consumíveis)

Longe vão os tempos em que falar no Pérola Negra era o mesmo que falar num clube de strip/cabaret. O espaço ganhou nova vida há algum tempo e transformou-se num polo de diversão dedicado de corpo e alma à música e à criatividade. Mantendo o mesmo décor à lá boite nova-iorquina dos anos 70/80, cheia de luzes vermelhas e pontos cintilantes, este estabelecimento vai proporcionar uma passagem de ano mais dedicada à música eletrónica — sempre feita por mãos portuguesas. Produtores e músicos como Terzi, Sonjaou Maze DLM fazem parte do alinhamento que conta com um total de dez nomes, todos eles com um único objetivo em mente: fazer da entrada em 2019 uma noite memorável.