Rádio Observador

Economia

Eixos estratégicos para a internacionalização

Conhecimento profundo dos mercados, parceiros de confiança nas várias geografias mundiais e acesso a rede de networking. Eixos que ajudam as empresas portuguesas a atingir o sucesso internacional.

Getty Images/iStockphoto

Muitas empresas procuram novos mercados para impulsionar os seus negócios; mas como em outras áreas da vida, quantidade não é sinónimo de qualidade. A estratégia para a internacionalização é fundamental para o sucesso de qualquer empreendimento. Num país com uma dimensão reduzida como Portugal, a vocação para a exportação tornou-se inevitável. Atualmente, o peso das exportações no PIB nacional está na ordem dos 46%. Ultrapassar fronteiras e cruzar oceanos para expandir os negócios exige parceiros com credibilidade.

“Existem duas áreas que se complementam e são muito importantes: a capacidade de as empresas comprarem e venderem nos mercados externos, ou seja o comércio internacional; e de se estabelecerem no mercado externo ou inclusivamente instalar uma fábrica. Estamos a falar da internacionalização”, sublinha Pedro Nunes Correia, diretor de Negócio Internacional no Santander. Nos dois contextos, é importante que os empresários possam ser apoiados por um Banco de confiança, “não só ao nível financeiro para ajudar as empresas a concretizarem os seus objetivos de forma segura e eficaz em cada uma das transações, mas também como um parceiro na capacidade de conhecimento dos mercados e na possibilidade de colocar as empresas em contacto umas com as outras ou a estabelecerem-se em geografias novas”, acrescenta o responsável.

Assumindo-se como agente do comércio externo, o Santander oferece soluções globais, simples e seguras. Com o Santander Trade identificam-se as melhores oportunidades de negócio, ligam-se os melhores parceiros e acompanha-se a evolução dos mercados com uma equipa de especialistas que ajudam as empresas a crescer. Existem três eixos fundamentais disponibilizados pelo Banco para os clientes que procuram afirmar-se na área da internacionalização:

1. International Desk

É uma estrutura de apoio à internacionalização coordenada entre as distintas unidades que integram o Santander em todo o mundo e inspira-se no slogan “A sua empresa vai receber um mundo de oportunidades”. O International Desk conta com uma rede de profissionais do Banco presente em várias geografias para ajudar a internacionalizar o seu negócio. Integra um conjunto de equipas que conhecem a realidade local e o idioma, para que os empresários portugueses no exterior possam desbravar caminho de forma mais ágil e fácil, ajudando-os a estabelecer-se, e acolhendo-os como clientes personalizados. “O Santander é um grupo internacional que conta com a presença de ‘Bancos irmãos’ em mais de 12 geografias diferentes, em praticamente toda a América Latina, Estados Unidos, Inglaterra, em Espanha, na Polónia, na Alemanha, Marrocos e tem também uma relação acionista forte com o Bank of Shanghai, da China”, sublinha o diretor de Negócio Internacional.

Com esta plataforma de pessoas, o Banco oferece acesso a toda a uma gama de produtos e serviços específicos para as suas necessidades internacionais, proporcionando uma rede de apoio em cada país: escritórios de advogados, agências governamentais e agências alfandegárias.

O Banco está igualmente disponível para ser o parceiro financeiro nos processos de empresas estrangeiras em investimento direto em Portugal, procurando informar sobre o melhor enquadramento para cada empresa e colocando ao dispor de quem o procura um amplo apoio financeiro em produtos e serviços para que possa escolher a melhor opção.

2. Santander Trade: Portal

É uma plataforma digital de informação que ajuda as empresas a identificar mercados potenciais em mais de 180 países. É um portal gratuito para empresas clientes do Santander, no qual pode encontrar, num único espaço, toda a informação e ferramentas necessárias para expandir o seu negócio: análises de mercado e de divisas, parceiros comerciais em todo o mundo e controlo de expedições internacionais. “Quando um cliente está à procura de novos mercados, é fundamental ter uma plataforma onde, por exemplo, possa pesquisar, em função do seu setor de atividade, geografias que tenham dimensão ao nível do tipo de produto que vai vender, sejam atrativas e onde os mercados estejam a crescer”, sublinha Pedro Nunes Correia.

Existe ainda a possibilidade de consultar mais de 25.000 estudos de mercado ou um banco de dados de gestão de embarques de mais de 120 países. Nesta plataforma, pode igualmente encontrar parceiros de negócios como importadores em países-chave, fornecedores em todo o mundo, diretórios de empresas em mais de 150 países, mercados online, salões e federações profissionais, concursos públicos e privados e uma lista de potenciais clientes.

“Esta não é a única maneira de um cliente chegar a novos mercados nem a novos clientes. É mais uma maneira, especialmente para as empresas mais pequenas que não têm tantas possibilidades nem equipas tão grandes que possam estar sempre a deslocar-se em missões comerciais”, refere o responsável.

3. Santander Trade: Club

É um clube especializado em negócio internacional que identifica as oportunidades que mais se adaptam ao seu negócio, uma rede global que tem como finalidade ajudar as empresas a encontrar contactos comerciais para fazer negócios de âmbito internacional.

No total, são mais de 11 mil membros, filtrados por bancos de prestígio internacional, e que já deram o primeiro passo para iniciar contactos num ambiente de confiança. Para pertencer à plataforma, os utilizadores terão de criar um cartão de negócio, com o perfil da empresa, áreas de atividade, objetivos de negócio e países onde atuam ou pretendem ter presença. Este é um clube que assenta na credibilidade e que tem também o papel de ser um conselheiro. São identificadas várias oportunidades de negócio, que podem ser sugeridas pelo algoritmo ou pelo gestor da comunidade que fará a ligação entre perfis de negócio e necessidades que se complementem. Os utilizadores podem procurar no diretório importadores e exportadores, tendo a possibilidade de contactar uns com os outros através da plataforma ou usando os dados disponibilizados pelas empresas. O detalhe da informação online, em que podem ser integrados, por exemplo, vídeos, catálogos ou a descrição dos produtos, depende sempre do que as empresas estejam dispostas a revelar no clube. O acesso ao Club Santander Trade é gratuito e permite também agilizar as transações entre clientes do Banco. “Esta é uma aposta que faz todo o sentido e que consideramos que vai ser ganhadora nos próximos tempos. É uma forma muito interessante das empresas se começarem a conhecer e identificarem áreas em comum.”

A plataforma foi lançada em 2018 e será alargada em 2019. Pedro Correia levanta o véu e promete mais novidades em breve: “Vamos convidar um conjunto de outros bancos, de primeira linha a nível mundial, para também fazerem parte deste clube, partilhando os clientes deles com os nossos clientes”.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Conteúdo produzido pelo Observador Lab. Para saber mais, clique aqui.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: obslab@observador.pt
Combustível

Os motoristas e o mercado

Jose Pedro Anacoreta Correira

Quando o Governo não consegue instrumentalizar politicamente os sindicatos, passa ao ataque. A luta e defesa dos trabalhadores é só para trabalhadores do Estado e filiados na CGTP.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)