“O Amante Duplo”

Chloé (Marine Vacth), uma jovem extremamente sensível, vai consultar um psicanalista, Paul (Jérémie Renier). Acabam por se apaixonar um pelo outro e vão viver juntos. Mas um dia, Chloé descobre que Paul tem um irmão gémeo, Louis (Renier repete o papel), também psicanalista, cuja existência lhe escondeu. E porque é que Paul também nunca lhe disse absolutamente nada sobre a família? Chloé vai investigar e acaba por se envolver com o brusco e amoral Louis. François Ozon baseou-se livremente num romance de Joyce Carol Oates para rodar este “thriller” obsessivo, sinuoso e doentio, por vezes demasiado afetado, cheio de imagens espelhadas e em que nada parece certo e seguro. O realizador francês vai “picar” tematica e visualmente a vários sítios — Lynch. Cronenberg, Hitchcock, De Palma – sem por isso abdicar da sua identidade.

“Dogman”

Um filme menor do italiano Matteo Garrone, o autor dos excelentes “Gomorra”, “Reality” e “O Conto dos Contos”. Marcello (Marcello Fonte), um tratador de cães, divorciado e pai de uma filha pequena, que também vende cocaína, é constantemente aterrorizado por Simoncino (Edoardo Pesce), o brutamontes do bairro, um ex-pugilista que todos temem, e o força a participar nos seus assaltos. Fonte ganhou o Prémio de Melhor Actor em Cannes pela sua interpretação do lingrinhas e pusilânime “Dogman” do título, uma figura-tipo da comédia italiana, o pobre diabo que se submete a todos os destratos e humilhações para sobreviver, mas o filme, de um realismo álgido, e passado na mesma zona de Nápoles onde Garrone rodou “Gomorra”, é escasso de história, caracterização e drama.

https://youtu.be/LI2JE_xjAaY

“O Ben Está de Volta”

Estamos a poucos dias do Natal, numa casa de família de um subúrbio próspero de Nova Iorque. Holly Burns (Julia Roberts) é surpreendida pelo aparecimento de Ben (Lucas Hedges), o filho mais velho do seu primeiro casamento. É uma alegria tê-lo em casa inesperadamente para passar a quadra. Mas é também uma aflição. Porque Ben é um toxicodependente relapso que está internado numa clínica para desintoxicação, e pode a qualquer momento recomeçar a drogar-se. E tentações e tentadores não faltam à sua volta. Por isso, a mãe, que o adora, agarra-se a ele como uma lapa a uma rocha e não o vai largar de vista, onde quer que ele esteja ou vá. E por isso, vai fazer uma viagem de terror pela vida secreta do filho. “O Ben Está de Volta” foi escolhido como filme da semana pelo Observador, e pode ler a crítica aqui.