Se está com férias debaixo de olho, o melhor é conhecer com antecedência os limites de velocidade impostos pelos Governos locais nas estradas nacionais. Se nas auto-estradas estar actualizado é mais simples, pela profusão de informação em painéis e indicadores luminosos, já nas estradas normais é fácil ser surpreendido, com multas pesadas e potenciais apreensões, caso a transgressão seja mais grave ou não possa ser liquidada.

Há uma série de ‘rasteiras’ que determinados países fazem aos automobilistas estrangeiros, como por exemplo Espanha, onde a DGT local baixou de 100 km/h para 90 km/h o limite máximo das estradas nacionais, o que abrange nada menos do que 7.000 km de estradas. Mas como Espanha está longe de ser um exemplo único, o melhor mesmo é estar actualizado, o que consegue rapidamente através da consulta da lista.

E não se pense que a diferença entre a velocidade máxima permitida pelo país mais castrador e os mais permissivos  é uma questão de 5 ou 10 km/h. É que se, por exemplo, a Suécia obriga os automobilistas a circular a 70 km/h, há quem limite a 80 km/h, a 90 km/h, a 96 km/h e até a 100 km/h. O melhor mesmo é consultar as tabelas na fotogaleria.