Os pagamentos em atraso das entidades públicas totalizaram 1.172 milhões de euros até novembro, menos 184 milhões de euros face ao período homólogo e mais 52 milhões de euros relativamente ao final de outubro, revelou esta sexta-feira a Direção-Geral do Orçamento (DGO).

“No final de novembro, os pagamentos em atraso das entidades públicas ascenderam a 1.172 milhões de euros, representando uma diminuição de 184 milhões de euros relativamente ao período homólogo e um aumento de 52 milhões de euros face ao final do mês anterior”, lê-se na síntese de execução orçamental divulgada esta sexta-feira pela Direção-Geral do Orçamento.

De acordo com o documento, para a evolução homóloga contribuíram, sobretudo, os Hospitais EPE (Entidade Pública Empresarial) com uma diminuição de 200 milhões de euros.

No sentido inverso, registou-se um aumento na Administração Regional (13 milhões de euros) e na Administração Central (10 milhões de euros). Por sua vez, face a outubro, o aumento registado deve-se quase na sua totalidade aos Hospitais EPE (51 milhões de euros).