Espanha

Espanha vai penalizar incentivo à anorexia através da internet

115

Nova lei contra a violência de menores foi aprovada e elenca novos crimes cometidos sobretudo pelas redes sociais. Os crimes contra menores só vão prescrever quando vítimas tiverem 30 anos.

ESTELA SILVA/LUSA

O Governo espanhol acaba de aprovar uma nova lei que prevê penas mais pesadas para crimes praticados contra menores e que inclui uma série de novos crimes praticados através da internet. O incentivo à bulimia, à anorexia e, mesmo, ao suicídio será punido por lei. Outra novidade é que todos os crimes praticados contra menores de 18 anos só prescrevem quando as suas vítimas completarem os 30 anos de idade.

A Lei Orgânica de Proteção Integral de Crianças e Adolescentes em face da Violência foi aprovada esta sexta-feira em Conselho de mInistros, como avançou o El Mundo, e vai tocar em 11 leis diferentes. Estas novas regras visam, sobretudo, tornar o conceito de “violência” mais abrangente. “Castiga-se todo o tipo de violência, seja qual for a forma como foi cometida, incluindo a realizada por meio das tecnologias de informação e comunicação”, explicou o Conselho de Ministros em comunicado, segundo o 20minutos.

À luz da nova lei, o “simples descuido” ou “tratamento negligente” para com uma criança é crime. Na tabela de comportamentos puníveis estarão também maus tratos psicológicos, físicos, emocionais, assim como a agressão sexual, o castigo físico e o incentivo à anorexia ou ao suicídio através da internet, escreve aquele jornal espanhol.

Esta nova lei pretende, também , introduzir um leque de novos crimes que antes não existiam na legislação espanhola, nomeadamente os cometidos através da internet. O conceito de violência é assim, alargado, a vários episódios que envolvem menores e que acontecem através das redes sociais: como o incitamento ao suicídio, a anorexia, a bulimia ou o atentado contra a liberdade sexual.

Outra novidade é que os delitos praticados contra menores só prescrevem quando eles completarem 30 anos (em Portugal, por exemplo, os crimes sexuais contra menores e a mutilação genital feminina extinguem-se quando completam 23). Ou seja, qualquer vítima de um crime que seja menor — e não apenas sexual, também em casos de tentativas de homicídio e de agressões ou maus tratos –, pode denunciar o caso até completar os 30 anos. Podendo as autoridades investigar e deter o suspeito sem que o crime prescreva.

Para cumprir a lei, o Governo prevê a criação de várias novas figuras como o do coordenador do bem estar e proteção de criança, que irá controlar os protocolos que deverão ser feitos com os centros educativos. As polícias também serão dotadas de meios especializados na sinalização destes casos.

Em 2018 foram assassinados 22 menores em Espanha, três deles foram mandados para um contentor do lixo, um morreu às mãos da própria mãe e outro morreu quando a mãe o mandou pela janela.

Todos queremos saber mais. E escolher bem.

A vida é feita de escolhas. E as escolhas devem ser informadas.

Há uns meses o Observador fez uma escolha: uma parte dos artigos que publicamos deixariam de ser de acesso totalmente livre. Esses artigos Premium, por regra aqueles onde fazemos um maior investimento editorial e que mais diferenciam o nosso projecto, constituem a base do nosso programa de assinaturas.

Este programa Premium não tolheu o nosso crescimento – arrancámos mesmo 2019 com os melhores resultados de sempre.

Este programa tornou-nos mesmo mais exigentes com o jornalismo que fazemos – um jornalismo que informa e explica, um jornalismo que investiga e incomoda, um jornalismo independente e sem medo. E diferente.

Este programa está a permitir que tenhamos uma nova fonte de receitas e não dependamos apenas da publicidade – porque não há futuro para a imprensa livre se isso não acontecer.

O Observador existe para servir os seus leitores e permitir que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia. Por isso o Observador também é dos seus leitores e necessita deles, tem de contar com eles. Como subscritores do programa de assinaturas Observador Premium.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ssimoes@observador.pt
Crónica

Mais 5 dias inúteis /premium

Alberto Gonçalves

Claro que o ar do tempo começa a tornar-se irrespirável e que uma sociedade fundamentada na desconfiança e na delação não promete um futuro risonho. Claro que me apetecia fazer queixa. Mas a quem?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)