O Ministério do Interior de França destacou 147.000 agentes das forças de segurança para garantir a ordem durante as comemorações da passagem de ano, devido aos “movimentos reivindicativos na via pública” e à “ameaça terrorista”.

“Com efeito, a celebração do novo ano de 2019 inscreve-se num contexto de ameaça terrorista que continua elevada e em movimentos reivindicativos na via pública”, escreveu hoje o Ministro do Interior num comunicado divulgado na rede social Twitter, noticia a agência de notícias espanhola Efe.

Depois de um sábado de protestos dos “coletes amarelos” em que o executivo contabilizou 12.000 manifestantes, contra os 38.600 registados na semana passada e os 66.000 na anterior, o grupo organiza-se agora através das redes sociais para fazer novas reivindicações na noite de segunda-feira.

Além das propostas de bloqueios em rotundas e estradas destaca-se também uma concentração a realizar nos Campos Elísios, ideia que o governo parece disposto a cortar pela raiz.

As autoridades locais estabeleceram dois perímetros de proteção para assegurar os lugares de maior afluência, seguindo as diretivas de reforço a segurança interna e da luta contra o terrorismo. É este será o caso dos Campos Elísios, acrescenta a nota do ministério.

Menos de um mês depois do atentado no mercado de Estrasburgo, entre as medidas antiterroristas conta-se a cobertura de todo o território com o dispositivo de vigilância antiterrorista Vigipirate, que dará prioridade à segurança em grandes espaços comerciais, lugares de reunião e infraestruturas de transportes públicos.

Nas estradas, o ministro indicou que se realizarão operações para dissuadir os cidadãos de conduzirem sob o efeito do álcool e/ou estupefacientes e prevenir os comportamentos perigosos.