A fechar um ano em que mudou de clube e de país, em que esteve ausente de vários momentos da seleção nacional, em que falhou a conquista da sexta Bola de Ouro e em que viu uma invasão à Academia de Alcochete lançar o Sporting num dos mais negros períodos da sua história, Cristiano Ronaldo deu uma entrevista ao jornal Record onde passa por todos esses temas. E deixa em aberto o regresso ao clube leonino.

2018 ficará também como o ano em que o internacional português foi acusado de ter violado Kathryn Mayorga, uma ex-modelo norte-americana, em junho de 2009. A revelação pública do caso abalou o universo de CR7 e Ronaldo diz agora que ficou “revoltado” com acusações que garante não serem verdade. “Custou-me ver a minha família perturbada com as notícias”, admite na entrevista ao desportivo.

Um a um, os temas com que Cristiano Ronaldo foi confrontado na entrevista ao Record e as respostas do capitão da seleção nacional.

O melhor de 2019

Foi a minha quinta vitória” na Liga dos Campeões “e a terceira consecutiva pelo Real Madrid”, diz ao Record. “Mas também não posso deixar de referir a minha chegada à Juventus, onde fui muito bem tratado.”

Bola de Ouro perdida para Modric

Não vivo obcecado em ganhar prémios individuais”, garante Cristiano Ronaldo. “O mais importante é ganhar troféus coletivos e ajudar a equipa. Não sou hipócrita e não escondo que fico feliz quando ganho, mas também não é o fim do mundo quando não ganho. Respeito a decisão de quem votou, mas acho que os números falam por si.”

E o seu próprio regresso a Alvalade?

No futebol nunca se sabe…”

Ganhar a Champions pela Juventus

Não deve ser uma obsessão, mas é evidente que vamos lutar com todas as nossas forças para conquistar esse troféu (…) Para já, imagino uma Juventus que se qualifique para os quartos-de-final. Temos de pensar passo a passo. A experiência ensinou-me que na Champions tudo é possível. É obviamente um sonho conquistar a Champions pela Juventus, mas não podemos fazer disso uma obsessão.”

Cristianinho nas pisadas de Ronaldo

Ficaria feliz se Cristianinho seguisse carreira de jogador.”

As memórias de Madrid

Ronaldo admite sentir um “carinho enorme” pelo clube que representou durante nove anos.

Vivemos juntos momentos inesquecíveis e isso não se apaga. Regressarei com muito gosto àquele estádio [Santiago Bernabéu] e tenho a expectativa de ser bem recebido.”

O afastamento temporário da Seleção Nacional

O capitão considera que “ficar fora” de vários jogos, pouco depois de rumar a Turim, “foi a melhor opção.”

Ficou acordado que eu não estaria nos jogos da primeira metade da época. Tenho 33 anos, tinha acabado de mudar de país, de métodos de trabalho, de companheiros de equipa, de rotinas profissionais e pessoais. Acho que foi a melhor opção.”

A decisão foi tomada em conjunto com Fernando Gomes e com Fernando Santos, garante Cristiano Ronaldo.

Tive uma conversa com o presidente da Federação Portuguesa de Futebol e com o selecionador nacional e ficou acordado que eu não estaria nos convocados para os jogos da primeira metade da época.”

No próximo ano, e já com Portugal apurado para a final four da Liga das Nações — a fase final, recorde-se, joga-se em Portugal no próximo ano —, CR7 espera poder voltar à lista de convocados de Fernando Santos. “Em 2019 conto estar à disposição do selecionador”, diz na mesma entrevista.

O terror de Alcochete

Ronaldo diz que ficou estupefacto e incrédulo e que se sentiu indignado com a invasão da Academia de Alcochete, a 15 de maio.

Um pouco disso tudo e também preocupação pelos amigos que tinha e tenho no plantel. Por outro lado, também um sentimento de tristeza por ver uma situação destas acontecer no clube do meu coração, que acabou por sair também fortemente prejudicado.”

O regresso de Nani a casa

Nani está de volta à casa onde crescemos e por isso sei que está bem.”

33 anos, dezenas de recordes. E o final da carreira?

Não tenho um ano ou uma meta para terminar. Sinto que estou muito bem em todos os aspetos e vou trabalhar para continuar assim por mais anos.”

Kathryn Mayorga e as acusações de violação