Enquanto o fabricante alemão não apresenta a sua primeira moto alimentada por bateria, o designer holandês Luuc Muis decidiu avançar com uma proposta que tem (quase) tudo para funcionar na perfeição. Misturando presente e passado, a moto de Muis coloca o pack de baterias ao centro em baixo, visando optimizar o comportamento e a estabilidade, para depois adoptar soluções estéticas que fazem recordar as BMW dos anos 70.

A ideia do designer holandês passou por uma interpretação moderna de uma moto clássica da marca alemã, a R80, fabricada a partir de 1977. Não é a primeira vez que Luuc Muis se dedica à BMW, pois já no passado desenhou a E-Type/Stealth, substancialmente mais elegante e moderna.

O projecto mais recente, apelidado R80 eDrive, é substancialmente mais rétro, apesar de exibir as formas típicas de uma café racer. O tanque de combustível faz recordar o da clássica R80, tal como o bloco volumoso ao centro do quadro, que disponibiliza espaço para a bateria e para o motor, em vez dos tradicionais dois cilindros opostos.

Se é de saudar que Muis tenha mantido a transmissão por cardan, já é menos interessante que tenha pensado em montar um motor com apenas 5 kW, ou seja 6,8 cv, sem que tenha revelado qual a capacidade de bateria que é possível montar no espaço disponível. Digamos que há bicicletas eléctricas com mais potência do que a moto concebida por Luuc Muis… Pelo que, se seria desejável que a BMW avançasse com a produção em série de uma moto eléctrica, com o design da E-Type/Stealth ou da R80 eDrive, seria igualmente bom que a marca a dotasse com um motor mais potente, o que alargaria o número de potenciais candidatos a compradores.