O Hospital Central de Maputo (HCM), o maior do país, registou este mês dez casos de suicídio, anunciou esta segunda-feira a instituição, que exortou a população a ficar atenta a comportamentos de risco no seio familiar.

“Que fiquem um pouco atentos ao comportamento dos vossos familiares, porque há uma tendência de haver aumento de casos de suicídio”, disse Farida Urci, diretora clínica do HCM, falando em conferência de imprensa.

Urci apontou questões passionais como uma das razões por detrás da decisão de colocar termo à própria vida.

“Pelo que temos visto ao longo do ano, a maior parte dos suicídios é por conta de relacionamentos, com esposas e namoradas”, explicou.

Nas últimas 24 horas, o HCM recebeu dois casos de suicídio, perfazendo dez no mês de dezembro.

Dados oficiais indicam que Moçambique é o país africano com maior taxa de suicídio, estando com uma média de 17,3 suicídios por cada cem mil habitantes.