Rádio Observador

Acidentes e Desastres

Tsunami de há uma semana na Indonésia provocou 437 mortos e 16 feridos

Pelo menos 437 pessoas morreram e 16 estão desaparecidas devido ao tsunami que há cerca de uma semana atingiu o estreito de Sunda, na Indonésia, segundo o último balanço oficial.

ZULKIFLI/EPA

Autor
  • Agência Lusa

Pelo menos 437 pessoas morreram e 16 estão desaparecidas devido ao tsunami que há cerca de uma semana atingiu o estreito de Sunda, na Indonésia, segundo o último balanço oficial.

De acordo com o porta-voz da Agência Nacional de Gestão de Desastres indonésia (BNPB), Sutopo Purwo Nugroho, a maioria das vítimas mortais do tsunami de 22 de dezembro era turista, sendo todas da Indonésia.

A zona mais afetada pelo incidente foi Pandeglang, na costa oeste da ilha de Java, onde se registaram até ao momento 296 mortos, seguindo-se o distrito de Lampung del Sur, na Sumatra, onde morreram 118 pessoas.

Os últimos números do BNPB apontam ainda para 1.459 feridos e 33.721 pessoas sem casa.

As operações de resgate e assistência às vítimas vão prolongar-se até dia 05 de janeiro.

As autoridades indonésias ainda não avançaram com uma explicação oficial para a causa do tsunami mas admite-se que tenha sido provocado pela erupção do vulcão Anak Krakatau.

A onda gigante atingiu a costa oeste de Java e do extremo sul da ilha de Samatra, onde as más condições meteorológicas estão a dificultar as tarefas das equipas de resgate e das organizações de ajuda humanitária.

Segundo Sutopo, as autoridades acreditam que cerca de 10 mil pessoas que foram atendidas pelos centros de acolhimento poderão regressar a casa, mas não o fazem porque temem uma repetição da catástrofe.

A BNPB assinalou que a Indonésia não conta com sistemas de alerta de tsunamis provocados por um vulcão e que as boias colocadas para detetar uma repentina subida das ondas não funcionam desde 2012 por falta de manutenção e de fundos para reparação dos danos provocados por atos de vandalismo.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Discriminação

A Universidade e a raça

Ricardo Cabral

É pena ver parte dos políticos a não abordar os assuntos raciais com a maturidade necessária. É triste saber que Portugal é governado por quem desconhece a verdadeira e diversa realidade portuguesa.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)