Lamborghini

Urus prova que afinal os SUV podem ser divertidos

Os SUV são os carros da moda, com os condutores a privilegiar a posição mais alta e o ar robusto. Contudo, não são os melhores parceiros para quem se quer divertir ao volante. À excepção do Urus.

Autor
  • Observador

O SUV é um tipo de veículo que caiu nas boas graças dos condutores mundiais. Sim, porque a popularidade destes modelos, na essência uns jipes de aspecto mais civilizado e com menos características todo-o-terreno (TT), está longe de ser exclusivamente portuguesa. A paixão pelos SUV nasceu nos EUA, mas rapidamente atravessou o Atlântico, atraindo os condutores europeus e asiáticos, cativados pelo seu ar robusto, pela posição de condução mais elevada, a melhorar a visibilidade e a sensação de segurança, mas especialmente pela conotação de aventura que cola aos seus utilizadores, mesmo que a actividade mais radical a que se dediquem seja, ocasionalmente, subir um passeio para estacionar.

Contudo, nem tudo são rosas, uma vez que os SUV trazem consigo alguns espinhos. O mais evidente é o peso, que não ajuda na aceleração, no consumo e, muito menos, no comportamento em curva. Sucede que há clientes de SUV que dão preferência aos modelos mais potentes, saindo muitas vezes decepcionados por os seus veículos não estarem à altura de uma condução mais rápida, sobretudo em zonas sinuosas. A frente muito pesada tende a arrastar o carro para fora da trajectória e depois, se pressionarmos o acelerador, as quatro rodas motrizes tendem a piorar ainda mais a situação, bem ao contrário do que acontece nos desportivos, em que a traseira “roda” para facilitar a inserção da frente.

Consciente desta maleita dos SUV possantes, a Lamborghini não perde uma oportunidade de mostrar que o seu Urus é diferente e para melhor. Muito melhor. Na areia do deserto dos Emiratos Árabes Unidos, o construtor italiano prova que o seu modo de condução Sabbia (areia em italiano), específico para este tipo de piso, funciona na perfeição. Tudo porque o seu diferencial central de tipo Torsen coloca atrás 60% da potência, valor que pode aumentar ainda mais quando o sistema percebe que o SUV está a fugir de frente.

Já se sabia que os 5,1 metros de comprimento do Urus, bem como os seus 2.275 kg, parecem uma “pena” quando empurrados pelos 650 cv do 4.0 V8 sobrealimentado, a ponto de alcançar 100 km/h em apenas 3,6 segundos e uma velocidade máxima de 305 km/h. Ficámos agora a saber que o sistema de transmissão integral lida sem problemas com os pisos com menor aderência. Possui ainda soluções para a Terra e Neve, além dos mais habituais Strada e Sport, guardando o 6º e último modo de condução, o Corsa, para quem deseje dotar o SUV com um comportamento ideal para… pista.

Pesquisa de carros novos

Filtre por marca, modelo, preço, potência e muitas outras caraterísticas, para encontrar o seu carro novo perfeito.

Pesquisa de carros novosExperimentar agora
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)