Bob Dylan regressa a Portugal, desta vez para uma data única. A 1 de maio toca ao vivo no Coliseu do Porto. Os bilhetes são colocados à venda este sábado, dia 5, às 10h, nos locais habituais. Os preços variam entre os 40 e os 140 euros.

O músico, compositor, escritor e prémio Nobel da Literatura esteve em Lisboa em março do ano passado, onde deu um concerto perante uma Altice Arena esgotada. Desta vez, a agenda de Dylan no nosso país passa apenas pelo Porto. O início do concerto está marcado para as 20h00.

Bob Dylan. As coisas mudaram? Problema delas

O concerto deverá seguir a regra habitual de Dylan: o homem vai cantar e tocar o que bem lhe apetecer, da forma que entender. Já no final de 2018, foi revelado mais um capítulo das “Bootleg Series”, que recuperam material inédito arquivado durante os mais de 50 anos de carreira do músico. Desta vez, o volume 14, intitulado More Blood, More Tracks regressa ao histórico álbum de 1975, Blood on the Tracks, que apresentou ao mundo canções como “Tangled up in Blue”, “Simple Twist of Fate” ou “If You See Her, Say Hello”. Mas nada disto é garantia que algum destes temas suba ao palco do Coliseu do Porto.

Ao mesmo tempo, e também em 2018, passaram 55 anos desde a gravação “The Times They Are a-Changin”, uma das canções mais emblemáticas da obra de Bob Dylan. Em 2017, lançou aquele que é até agora o seu último disco gravado em estúdio, Triplicate, álbum triplo que reúne versões de clássicos e standards do cancioneiro norte-americano.

Há 55 anos, Bob Dylan percebeu que os tempos estavam a mudar. E entrou num estúdio em Nova Iorque para o provar

O concerto no Coliseu do Porto faz parte de um regresso à Europa, integrado na digressão a que chama, desde 1988, de “never ending tour”. A primeira etapa começa na Alemanha a 31 de março e termina em Valência, Espanha, a 7 de maio, poucos dias depois da passagem pelo Porto. Pelo meio, toca na República Checa, França, Áustria e Suíça. A segunda etapa arranca a 21 de junho, em Bergen, na Noruega. Segue-se a Finlândia, Suécia, de novo a Alemanha e, mais tarde, a 12 e 14 de julho, duas das datas que prometem ficar na história dos concertos ao vivo em 2019: dois concertos com Neil Young, o primeiro em Londres e o segundo em Kilkenny, na Irlanda.