Séries

Terceira temporada de “Stranger Things” chega à Netflix em julho

A série que revê a cultura popular dos anos 1980 com romance e referências de ficção científica e do universo de terror à mistura volta para mais uma temporada. Haverá personagens novas.

A ação de "Stranger Things" passa-se na pequena cidade ficcional de Hawkins, no estado do Indiana

O novo ano começou com uma boa-nova para os fãs da série norte-americana “Stranger Things”: a terceira temporada aterra na plataforma Netflix no dia 4 de julho. A revelação foi feita pela própria Netflix, nas redes sociais, com um poster que indicava simplesmente a data e uma frase: “Um verão pode mudar tudo”.

Além do poster, a Netflix revelou um teaser oficial bem ao estilo de Stranger Things — críptico, portanto, com excertos do programa televisivo de ano novo de culto Dick Clark’s New Year’s Rockin’ Eve, do dia 31 de dezembro de 1984, emitido na estação ABC, e com códigos que indicam a avaria de um ecrã de computador antigo. A plataforma de streaming por subscrição já tinha divulgado um vídeo no primeiro semestre de 2018 mostrando o início da produção da temporada.

A terceira temporada da série terá oito episódios, assim como a primeira temporada (a segunda temporada teve mais um). A narrativa acontece no verão de 1985, novamente na pequena cidade ficcional do estado de Indiana Hawkins, mas um ano após os acontecimentos da segunda temporada. Por agora, ainda não há a confimação oficial de que os episódios da próxima temporada cheguem à Netflix todos em simultâneo, como aconteceu nas temporadas anteriores, mas a hipótese tem sido veiculada como a mais provável.

A terceira temporada introduzirá também novas personagens. Segundo refere a Variety, Maya Hawke (filho dos atores Ethan Hawke e Uma Thurman) vai-se juntar ao elenco interpretado a personagem Robin, descrita como “uma rapariga entediada”. O ator Cary Elwes também irá entrar no elenco interpretando o novo mayor da cidade de Hawkins. Será “um político clássico dos anos 1980 — bonito, habilidoso e desprezível, mais preocupado com a sua imagem do que com as pessoas da pequena cidade que governa”, revelou a Netflix, citada pela revista digital CNET, propriedade do grupo CBS Interactive. Outra personagem nova de “Stranger Things” será Bruce, um jornalista do The Hawkins Post “com princípios morais questionáveis e um sentido de humor doentio”, interpretado pelo ator Gary Busey.

Os autores da série Matt e Ross Duffer já terão adiantado que é provável que a série não termine na próxima temporada, chegando pelo menos à quinta temporada. O ator David Harbour, que interpreta a personagem Sheriff Hopper, corroborou a ideia, uma entrevista à CNET.

Misturando terror, ficção científica e um revisionismo da cultura popular do final dos anos 1980, “Stranger Things” tornou-se uma das séries de culto da Netflix. Pela popularidade das primeiras duas temporadas, foi nomeada para dez prémios Emmy e quatro Globos de Ouro, mas não venceu nenhum dos mais reputados galardões da indústria televisiva de entretenimento norte-americana.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)