Companhias Aéreas

Lapso da Cathay Pacific permitiu comprar viagens de quase 16 mil euros… a 600 euros

A companhia aérea Cathay Pacific vendeu bilhetes de 16 mil dólares por 675 dólares (cerca de 600 euros) por engano. Mas garante que vai honrar os lugares vendidos aos afortunados passageiros.

LAURENT FIEVET/Getty Images

Cathay Pacific vendeu bilhetes de 16 mil dólares por um preço significativamente mais baixo: 675 dólares (cerca de 600 euros). Mas não se tratou de nenhuma grande promoção: foi um lapso que permitiu aos passageiros comprar bilhetes de primeira classe e de executiva ao valor da classe mais económica. Apesar do engano, a companhia garantiu que vai honrar os lugares vendidos aos afortunados passageiros, que compraram os lugares habitualmente mais caros.

O erro foi prontamente identificado e reconhecido pela transportadora que não resistiu a partilhar a informação, com algum humor à mistura, na sua conta de Twitter.

A companhia aérea sediada em Hong Kong vendeu esses lugares na classe executiva do Vietname para Nova Iorque, em agosto passado, no valor de 675 dólares. Os preços dessa rota, contudo, em julho e em setembro, rondam os 16 mil dólares (cerca de 14 mil euros).

Depois de ter admitido que tinha cometido um erro, a Cathay disse que iria honrar os bilhetes que vendeu, o que fez com que os “sortudos” que os tinham já comprado pudessem aproveitar a sua estada num dos voos da companhia. Este foi o caso de Mac Jaehnert, que recebeu o alerta no Twitter sobre os preços que estavam a ser então praticados e não perdeu tempo em reservar o seu bilhete de Boston para Hong Kong, em primeira classe, por 1.220 dólares.

Citado pela BBC, Mac Jaehnert disse que sempre teve o sonho de voar em primeira classe. “Um bilhete de ida na Cathay, em primeira classe, é cerca de 16 mil euros e isso é um pouco fora do limite de valores que consigo pagar. Quando fiz as contas, o que teria de pagar teria um desconto de cerca de 95%”, conta.

Não é certo quantos bilhetes foram vendidos, mas o sucedido é agora um desafio que a Cathay terá de enfrentar. A companhia já se encontrava a tentar recuperar os seus lucros, depois de ter registado a sua primeira perda anual em março de 2018, vendo-se a par com a concorrência low-cost. Além disso, a Cathay sofreu também um ataque informático que comprometeu as informações pessoais de 9,4 milhões de passageiros.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Espanha 2015

Nem tudo vale na política

Dantas Rodrigues

Oportunismos como o da candidatura de Manuel Valls em Barcelona é que degradam a imagem da política e alimentam a propagação de partidos populistas sejam eles de extrema-direita ou de extrema-esquerda

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)