Rádio Observador

Museus

Prado lidera museus espanhóis que receberam total de 12 milhões de visitantes

O Museu do Prado foi o museu nacional e estatal mais visitado em Espanha. O museu recebeu 2,9 milhões de visitas em 2018. O Rainha Sofia, o CaixaForum Madrid e o Thyssen são outros dos mais visitados.

O Museu do Prado obteve uma subida de 2,43% face a 2017, registando a segunda melhor afluência nos últimos dez anos, só superada pelos 3,03 milhões de visitantes de 2016

EMILIO NARANJO/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O Museu do Prado, em Madrid, liderou as visitas nos museus nacionais e estatais espanhóis em 2018 com 2,9 milhões, num total de 12 milhões de entradas nestes espaços culturais de Espanha.

De acordo com as estatísticas divulgadas pela agência de notícias EFE na quarta-feira, entre os museus mais visitados estão o Rainha Sofia, o Guggenheim, em Bilbao, o CaixaForum Madrid e o Thyssen.

Globalmente, o Museu do Prado obteve uma subida de 2,43% face a 2017, registando a segunda melhor afluência nos últimos dez anos, só superada pelos 3,03 milhões de visitantes de 2016 devido à exposição temporária dedicada ao pintor holandês Hieronymus Bosch (1450-1516) pelos 500 anos da sua morte.

Por seu turno, o Museu Rainha Sofia recebeu 1.694.296 visitantes e, segundo a entidade, entre as exposições mais procuradas estiveram “Pessoa. Toda a Arte é uma Forma de Literatura” que foi ali apresentada no início do ano.

Também entre os mais visitados em Espanha esteve o Museu Guggenheim Bilbao, que recebeu 1.265.756 visitantes, o terceiro melhor valor da sua história, mas menos 4% do que em 2017, quando celebrou o seu 20.º aniversário.

O principal foco de atração neste museu, em 2018, segundo a entidade, foram as exposições da artista portuguesa Joana Vasconcelos, vista por 649.082 pessoas, “Arte e China depois de 1989”, com 619.411 entradas, e “Chagall”, com 453.182 visitantes.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
História

O azar do museu Salazar /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

A ignorância e o fanatismo, que estão na origem dos totalitarismos, combatem-se com a verdade e o conhecimento. A ditadura não se vence com a ignorância, mas com a ciência.

Crónica

Museológica da batata /premium

Tiago Dores

Somos um povo com inclinação para a filosofia, com dotes de abstracção tão bons, tão bons, que acabamos por ser mais fortes a discorrer sobre museus imaginários do que a visitar museus reais.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)