O Governo vai avançar com o acordo para construir o novo aeroporto no Montijo sem o estudo de impacto ambiental estar concluído. A falta de estudos sobre as aves que existem na Reserva Natural do Estuário do Tejo voltou a ser o principal entrave, fazendo com que a ANA — Aeroportos de Portugal não tenha conseguido cumprir o prazo definido até ao final de 2018, segundo noticia a TSF.

Em causa está a existência naquela área de um corredor utilizado por aves migratórias, que acarreta não só riscos ambientais, mas também para os operacionais das aeronaves. Uma primeira versão do estudo de impacto ambiental já tinha sido rejeitada em julho pela Agência Portuguesa do Ambiente (APA). Nesta altura, o Ministro do Ambiente pediu rigor na avaliação do impacto do novo aeroporto sobre as aves.

Fonte oficial do Ministério do Planeamento e Infraestruturas confirmou que a assinatura do acordo, prevista para o próximo dia 8, terça-feira, será feita sem que esteja concluído o prometido estudo ambiental. Este, por seu turno, terá ainda de ser aprovado pela APA, mas sem data definida para tal.

Aeroporto do Montijo. Governo e ANA fecham acordo no dia 8