Brasil

Bolsonaro coloca em dúvida fusão da Embraer com a Boeing

O presidente do Brasil colocou em causa o acordo anunciado para a fusão da empresa de aeronaves brasileira Embraer com a Boeing por considerar que a proposta atual pode afetar os interesses do país.

Em dezembro, a Embraer e a Boeing anunciaram que aprovaram os termos da parceria para criar uma nova empresa de aviação comercial, que ainda depende de aprovação do Governo brasileiro

RITCHIE B. TONGO/EPA

Autor
  • Agência Lusa

O Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, questionou esta sexta-feira o acordo de fusão da fabricante de aeronaves brasileira Embraer com a Boeing, que foi anunciada em dezembro como concluída.

Numa entrevista à imprensa à saída da Base Aérea de Brasília, após a posse do novo comandante da Aeronáutica, Bolsonaro foi questionado sobre a fusão das duas empresas e respondeu que a proposta atual poderia afetar os interesses do país.

Seria muito boa essa fusão [da Embraer com a Boeing], mas nós não podemos [aceitar o acordo], como está na última proposta, não é? Daqui a cinco anos, tudo pode ser repassado para o outro lado. A preocupação é essa, é um património nosso”, disse Bolsonaro, sem entrar em mais detalhes.

Na entrevista, Bolsonaro referia-se a uma opção de venda de ações que garantia à empresa brasileira o direito de desfazer-se totalmente dos 20% que teria da ‘joint venture’ que pretende criar com a Boeing para fabricação de aeronaves comerciais.

Em dezembro, a Embraer e a Boeing anunciaram que aprovaram os termos da parceria para criar uma nova empresa de aviação comercial, que ainda depende de aprovação do Governo brasileiro, que detém uma ação especial da Embraer chamada golden share, que lhe dá o direito de barrar este tipo de negociação.

A Embraer mantém unidades industriais, escritórios, centros de serviço e de distribuição de peças, entre outras atividades, nas Américas, África, Ásia e Europa.

Em Portugal, no Parque de Indústria Aeronáutica de Évora funcionam duas fábricas da Embraer, sendo que a empresa também é acionista da OGMA (65%), em Alverca.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Eleições Europeias

Querida Europa...

Inês Pina

Sabemos que nos pedes para votarmos de cinco em cinco anos, nem é muito, mas olha é uma maçada! É sempre no dia em que o primo casa, a viagem está marcada, em que há almoço de família…

Educação

Aprendizagem combinada: o futuro do ensino

Patrick Götz

Só integrando a tecnologia na escola se pode dar resposta às necessidades do futuro, no qual os futuros trabalhadores, mesmo que não trabalhando na indústria tecnológica, terão de possuir conhecimento

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)