Um caso suspeito do vírus mortal ébola foi identificado por um hospital sueco, alertaram esta sexta-feira as autoridades sanitárias, acrescentando que o paciente foi isolado.  Os resultados do teste realizado no paciente apenas serão conhecidos ao longo do dia, mas as autoridades sanitárias da região de Uppsala, a norte de Estocolmo, suspeitam de um caso de ébola.

Em comunicado, as autoridades dizem que, para já, a eventualidade de se tratar do vírus é apenas uma hipótese, estando o diagnóstico ainda em aberto. O paciente, que não é identificado, terá viajado há três semanas para o Burundi, contudo, segundo a agência noticiosa sueca TT, não terá estado em nenhuma região afetada pelo ébola.

O hospital onde o paciente foi pela primeira vez tratado, em Enkiping, já foi encerrado e os funcionários que tiveram contacto com ele estão a ser vigiados. O paciente foi, entretanto, transferido para uma clínica na cidade de Uppsala.

“O paciente chegou na manhã de hoje [sexta-feira] e supostamente estava a vomitar sangue, o que pode ser um sintoma de infeção pelo ébola”, disse Mikael Kohler, porta-voz da clínica, ao jornal local Upsala Nya Tidning.

O leste da República Democrática do Congo enfrenta atualmente um surto de ébola que já provocou, desde 1 de agosto, 370 mortos. Todos os principais surtos deste vírus ocorreram em África, embora alguns casos isolados tenham sido relatados fora do continente. O vírus ébola é transmitido através do contacto com os fluidos corporais dos infetados.