Ébola

Caso suspeito de ébola identificado na Suécia

113

As autoridades adiantam que, para já, a eventualidade de se tratar do vírus é apenas uma hipótese, estando o diagnóstico em aberto. O paciente terá viajado há três semanas para o Burundi.

AFP/Getty Images

Autor
  • Agência Lusa

Um caso suspeito do vírus mortal ébola foi identificado por um hospital sueco, alertaram esta sexta-feira as autoridades sanitárias, acrescentando que o paciente foi isolado.  Os resultados do teste realizado no paciente apenas serão conhecidos ao longo do dia, mas as autoridades sanitárias da região de Uppsala, a norte de Estocolmo, suspeitam de um caso de ébola.

Em comunicado, as autoridades dizem que, para já, a eventualidade de se tratar do vírus é apenas uma hipótese, estando o diagnóstico ainda em aberto. O paciente, que não é identificado, terá viajado há três semanas para o Burundi, contudo, segundo a agência noticiosa sueca TT, não terá estado em nenhuma região afetada pelo ébola.

O hospital onde o paciente foi pela primeira vez tratado, em Enkiping, já foi encerrado e os funcionários que tiveram contacto com ele estão a ser vigiados. O paciente foi, entretanto, transferido para uma clínica na cidade de Uppsala.

“O paciente chegou na manhã de hoje [sexta-feira] e supostamente estava a vomitar sangue, o que pode ser um sintoma de infeção pelo ébola”, disse Mikael Kohler, porta-voz da clínica, ao jornal local Upsala Nya Tidning.

O leste da República Democrática do Congo enfrenta atualmente um surto de ébola que já provocou, desde 1 de agosto, 370 mortos. Todos os principais surtos deste vírus ocorreram em África, embora alguns casos isolados tenham sido relatados fora do continente. O vírus ébola é transmitido através do contacto com os fluidos corporais dos infetados.

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.
Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)