A líder do Bloco de Esquerda (BE), Catarina Martins, manifestou esta sexta-feira “enorme perplexidade” pelo facto de o acordo para o novo aeroporto do Montijo estar agendado para terça-feira sem ser conhecido um estudo de impacto ambiental.

“Temos duas certezas e uma enorme perplexidade (…). A perplexidade é o Governo avançar sem se conhecer de forma exaustiva o estudo de impacto ambiental e o que é que diz, o que recomenda e o que se pode ou não fazer numa zona de estuário do Tejo que tem ecossistemas que devem ser protegidos”, disse Catarina Martins.

A coordenadora do BE considerou que é “no mínimo de uma enorme precipitação” que o acordo entre o Governo e a ANA – Aeroportos de Portugal tenha data marcada sem que o estudo de impacto ambiental seja conhecido.

Decisões de curto prazo, sem acautelar o longo prazo, podem sair caríssimas ao país. Quem esperou tanto por uma solução, se calhar demais, fazia bem em aguardar pelo estudo de impacto ambiental”, afirmou.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Quanto às “certezas” apontadas anteriormente, Catarina Martins disse referir-se “à certeza de que o aeroporto de Lisboa não tem capacidade e, portanto, é necessária uma solução” e “à certeza de que foi um enorme erro privatizar a ANA”.

“Porque faz com que estejamos nas mãos do interesse privado e não nas mãos do que deveríamos estar, que é a estratégia pública e o interesse público”, concluiu, à margem de uma reunião com trabalhadores precários da RTP e depois de esta tarde o BE ter informado que exigiu a audição no parlamento dos ministros com as tutelas do ambiente e das infraestruturas, bem como das associações ZERO e Quercus, a propósito do acordo para o novo aeroporto do Montijo.

O presidente da Câmara do Montijo revelou na quinta-feira que o estudo de impacto ambiental sobre a construção do novo aeroporto será entregue no primeiro trimestre de 2019, não estando em condições de ser divulgado na terça-feira, dia em que o Estado e a ANA – Aeroportos de Portugal assinam um acordo sobre o modelo de financiamento para a construção desta nova infraestrutura.

Segundo fonte da gestora de aeroportos ANA, na próxima terça-feira, dia 8 de janeiro, o Estado e a ANA – Aeroportos de Portugal assinam um acordo sobre o modelo de financiamento para a construção da nova infraestrutura no Montijo e o reforço da capacidade do atual aeroporto Humberto Delgado.

[frames-chart src=”https://s.frames.news/cards/aeroporto-de-lisboa/?locale=pt-PT&static” width=”300px” id=”38″ slug=”aeroporto-de-lisboa” thumbnail-url=”https://s.frames.news/cards/aeroporto-de-lisboa/thumbnail?version=1534158106732&locale=pt-PT&publisher=observador.pt” mce-placeholder=”1″]

A cerimónia decorrerá às 15h00, na base da Força Aérea no Montijo, com a presença do primeiro-ministro, António Costa, do ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, do chairman e CEO da VINCI, Xavier Huillard, e do presidente da VINCI Airports, Nicolas Notebaert.