A China detonou esta sexta-feira aquilo que garante ser a sua bomba não-nuclear com maior poder destrutivo, o que levou o Global Times, jornal anglófono detido pelo regime chinês, a comparar aquele explosivo com a Mother Of All Bombs, detonada pelos EUA em 2017 no Afeganistão.

De acordo com o Global Times, a bomba foi fabricada pela NORINCO — o grupo empresarial chinês responsável por fabricar e projetar diferentes tipos de armas — e detonada em local incerto após ter sido lançada por um avião militar do tipo H-6K.

Aquele jornal diz que a explosão foi “gigantesca” e cita ainda um especialista chinês, Wei Dongxu. “A explosão maciça pode muito facilmente fazer desaparecer alvos subterrâneos, tais como edifícios fortificados, bastiões ou abrigos”, disse.

De acordo com o mesmo especialista, a bomba chinesa é ainda mais pequena e leve — o que não deve ser confundido com menor poderio, algo que não é quantificado na informação disponibilizada — do que a bomba detonada pelos EUA para abater um complexo subterrâneo do Estado Islâmico no Afeganistão. Esta bomba ficou conhecida com a Mother Of All Bombs (Mãe de Todas as Bombas, em português).

A informação de que agora também a China possui uma bomba deste calibre surge menos de 24 horas depois de ter sido também noticiado que a China conseguiu ser o primeiro país a alunar uma sonda no lado oculto da Lua.