Foi emitido um alerta amarelo de tempo frio para os distritos de Braga, Vila Real, Bragança, Aveiro, Guarda, Santarém e Évora. O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) diz que se espera uma “persistência de valores baixos da temperatura mínima” nesses distritos até ao meio-dia de segunda-feira. Os grupos central e oriental do arquipélago dos Açores também estão sob um aviso meteorológico amarelo até às nove da manhã de domingo por se anteciparem “períodos de chuva por vezes forte”.

Os avisos amarelos de tempo frio dependem das temperaturas normalmente registadas em cada um dos distritos. Neste caso, o IPMA emitiu os alertas meteorológicos para estes lugares porque se esperam temperaturas mínimas entre os -1ºC e os -3ºC em Braga, entre os -2ºC e os -3ºC em Vila Real, entre os -4ºC e os -7ºC em Bragança, entre o 1ºC e os 3ºC em Aveiro, entre os -3ºC e os -6ºC na Guarda; e entre os -1ºC e o 1ºC em Santarém e Évora.

Duas circunstâncias levaram à emissão desses avisos amarelos de tempo frio para os sete distritos de Portugal Continental: em primeiro lugar, o facto de essas temperaturas serem mais baixas do que é normal nesses sítios; e em segundo lugar, o facto de essas temperaturas permanecerem tão baixas durante pelo menos 48 horas. Quanto ao alerta meteorológico em vigor nos Açores, o IPMA lançou o aviso porque se espera um volume de aguaceiros com entre 10 e 20 milímetros por hora tanto no grupo oriental como no grupo central.

Quando está tanto frio como se prevê para as próximas horas, a Direção-Geral da Saúde (DGS) pede que se usem várias camadas de roupa adequadas à temperatura ambiente, que se protejam as extremidades do corpo com luvas, gorro, meias quentes e cachecol; e que se prefiram bebidas e alimentos quentes. Além disso, verifique o estado dos equipamentos utilizados para aquecimento antes de os utilizar, ventile bem as divisões onde tiver lareiras, braseiras, salamandras ou equipamentos a gás, apague ou desligue sempre esses equipamentos se sair de casa e nunca utilize máquinas para aquecimento de exterior (esplanadas) em espaços interiores.

A DGS também recorda que as pessoas mais vulneráveis ao frio são as crianças, os idosos, os doentes crónicos — principalmente com problemas respiratórios e cardiovasculares –, os sem-abrigo e as pessoas cuja habitação tenha mau isolamento térmico. Essas pessoas precisam de especial ajuda porque, estando mais expostas ou frio ou sendo menos resistentes a ele, podem desenvolver queimaduras potencialmente perigosas. Se precisar de conselhos, ligue para a Linha Saúde 24 (808 24 24 24).

Quanto aos elevados níveis de precipitação esperados nos Açores, a Proteção Civil aconselha a população a estar atenta aos avisos e recomendações das autoridades e, em caso de inundação dentro de casa, a ligar aos bombeiros locais ou ao Serviço Municipal de Proteção Civil do concelho. Mantenha desobstruídos os sistemas de escoamento das águas e, se tiver de conduzir, esteja muito atento à queda de ramos ou árvores. O melhor mesmo é reduzir a velocidade, estar atento à formação de lençóis de água e não deixar o carro estacionado em sítios com maior possibilidade de inundação.

Os alertas meteorológicos lançados pelo IPMA chegam pouco depois de o instituto ter noticiado que este mês de dezembro foi o terceiro mais quente dos últimos 87 anos. À conta disso, por ter chovido tão pouco no final do mês passado, foram registados níveis fracos de seca no sul do rio Tejo. A distribuição percentual do índice de seca no território é de 53,3% na classe de seca fraca, 13,7% na classe normal e 33% na classe de chuva fraca. “O mês de dezembro de 2018 em Portugal Continental classificou-se como quente em relação à temperatura do ar e muito seco em relação à precipitação”, refere o IPMA no resumo climatológico do mês passado.

O frio chegou e os centros de saúde ativaram o plano de contingência. Saiba que recomendações deve seguir