Tesla

Pick-up declaram guerra aos Tesla e estes vingam-se

274

Há uma batalha campal a ter lugar nos EUA. Não é um novo Norte contra Sul, mas sim os condutores das pick-up contra os donos dos Tesla. Tudo por causa dos Superchargers.

ICEing é uma das últimas parvoíces inventadas por quem tem pouco para fazer ou não sabe o que faz. Essencialmente, consiste numa vingança contra os veículos eléctricos e os seus utilizadores, por parte de um certo tipo de condutores americanos, que os locais apelidam de “rednecks”, por serem pouco sofisticados e com inteligência a condizer, oriundos de um sul rural, onde também são conhecidos como “white trash”.

Os actuais fãs do ICEing eram, até agora, adeptos de outra actividade conhecida como “rolling cool”. “Rolling” porque efectivamente os carros rolavam, e “cool” porque estes condutores acham “fixe” adulterar a bomba de combustível de carros com velhos motores a gasóleo, para que estes produzissem uma enorme quantidade de fumo enquanto se deslocam. A sua especialidade era chatear os condutores dos Toyota Prius, os híbridos mais populares nos EUA, mas a actividade caiu em desuso depois de estarem expostos a multas de até 5.000 dólares por cada “graçola”.

Furiosos com o facto de a Tesla ter montado os Superchargers junto das grandes superfícies e centros comerciais, reservando para os seus clientes os espaços de estacionamento inerentes ao uso dos carregadores, estes condutores de veículos com motor de combustão – e daí o ICE, que deriva de Internal Combustion Engine – decidiram retaliar, impedindo o acesso dos carros eléctricos aos postos de carga, estacionando as suas pick-up em frente aos mesmos.

O primeiro caso noticiado aconteceu em Hickory, na Carolina do Norte, onde três pick-up bloquearam parcialmente os Superchargers e, caso os condutores dos Tesla não se tivessem apercebido que havia algo especificamente contra eles, acompanharam a ocupação dos pontos de carga com cânticos de verso único: “f..k Tesla”. Ao que parece, esta ocupação de carregadores por veículos a gasolina ou a gasóleo foi elevada a actividade com direito a nome próprio, mais precisamente ICEing, equiparando-a pois a walking, driving e eating, apesar destas serem menos problemáticas.

Hickory está longe de ser caso único. Eventualmente, porque estes “activistas” em nome dos ICE desconhecem que o espaço nos parques de estacionamento públicos está arrendado à Tesla, da mesma forma que começa a estar a outras redes de postos de carga que já estão a ser criadas, bem como a outros serviços que há muito ocupam o espaço público, dos Valet Parking às lavagens.

Enquanto se espera que os condutores dos automóveis eléctricos não desçam ao nível dos rednecks e comecem a bloquear os postos de abastecimento de combustível, o que seria igualmente criticável e punível, aguarda-se que as autoridades façam o que lhes compete: multar e rebocar os veículos estacionados em frente aos postos de carga específicos para carros a bateria. O que já em ilegal em Portugal, mas também numa série de estados americanos, nomeadamente Arizona, Califórnia, Flórida, Havai, Ilinóis, Massachusetts, Oregon, Rhore Island e Washington. Mas ainda não, por enquanto, na Carolina do Norte.

Entretanto, alguns condutores dos Tesla começaram já a propor uma forma de lidar com o ICEing que consiste em explorar a capacidade de tracção dos carros eléctricos com quatro rodas motrizes. Aos comandos de um Tesla Model X, um americano provou ser fácil rebocar uma pick-up, afastando-a do Supercharger onde que se queria ligar. O que até é fácil, porque a maioria das pick-up ou têm exclusivamente tracção atrás ou circulam em asfalto apenas com tracção traseira, para poupar consumo e pneus, além de melhorar o comportamento. O condutor do Tesla passou uma cinta de reboque numa pick-up GM Silverado – que também era sua e o vídeo foi apenas para provar um ponto de vista – e facilmente afastou o ICE do seu lugar. Esta actividade também já tem denominação oficial, De-ICEing.

Participe nos Prémios Auto Observador e habilite-se a ganhar um carro

Vote na segunda edição do concurso dedicado ao automóvel cuja votação é exclusivamente online. Aqui quem decide são os leitores e não um júri de “especialistas” e convidados.

Participe nos Prémios Auto ObservadorVote agora

    Se tiver uma história que queira partilhar ou informações que considere importantes sobre abusos sexuais na Igreja em Portugal, pode contactar o Observador de várias formas — com a certeza de que garantiremos o seu anonimato, se assim o pretender:

  1. Pode preencher este formulário;
  2. Pode enviar-nos um email para abusos@observador.pt ou, pessoalmente, para Sónia Simões (ssimoes@observador.pt) ou para João Francisco Gomes (jfgomes@observador.pt);
  3. Pode contactar-nos através do WhatsApp para o número 913 513 883;
  4. Ou pode ligar-nos pelo mesmo número: 913 513 883.

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: alavrador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)