Pela primeira vez na história, o Tondela venceu o Sporting. Pepa tinha dito antes do jogo que era necessário “roçar a perfeição” para ganhar aos leões e disse depois do jogo que este é um dia “que fica para a história”. Pelo menos, para a história do Tondela, já que tudo o que o Sporting quererá fazer é esquecer a derrota em Viseu e apontar o azimute para a receção ao FC Porto, no próximo sábado, onde em caso de vitória poderá recuperar três pontos na desvantagem que leva para os dragões.

Marcel Keizer, que já na semana passada tinha dito que não gostou da exibição do Sporting — apesar da vitória caseira frente ao Belenenses SAD –, voltou a mostrar-se desagradado com a entrada em jogo da equipa de Alvalade. “Começámos muito mal. Depois controlámos a partida, mas o início foi muito pobre. O jogo já estava 1-0 e tornou-se muito difícil”, explicou o treinador holandês, que desde que chegou a Lisboa sofreu golos em dez dos onze jogos em que esteve à frente do Sporting. A fase lua de mel de Keizer parece ter passado e nas últimas quatro partidas os leões chegaram ao intervalo sem marcar qualquer golo — o que, em comparação com os primeiros encontros recheados de golos e as primeiras jornadas cheias de goleadas, provoca saudades dos dias iniciais do holandês que chegou com poucos sorrisos mas uma “filosofia atacante” que lhe garantiu o melhor arranque de sempre de um treinador dos verde e brancos.

Os leões somaram em Tondela a segunda derrota consecutiva em jogos fora para o Campeonato e têm já mais derrotas do que vitórias fora de Alvalade (quatro contra três). No encontro desta segunda-feira, Bas Dost fez falta enquanto referência atacante mas nem a ausência do holandês levou Keizer a convocar Luiz Phellype, reforço de inverno proveniente do Paços de Ferreira. Na flash interview, o treinador reconheceu que Dost fez falta mas explicou que o recém-chegado avançado brasileiro não poderia saltar já para o lote de opções. “O Bas Dost é um avançado muito bom, claro que sentimos a falta dele, mas jogaram 11 jogadores e tínhamos de ganhar. Não conseguimos, por isso não fizemos o nosso trabalho. O Luiz Phellype vem da Segunda Liga e numa semana não dá para passar da Segunda Liga para o Sporting. Voltámos a ter o Montero, que é bom avançado, e optámos por ele”, revelou Keizer, que lançou o colombiano logo no início da segunda parte.

Sobre a receção ao FC Porto, Marcel Keizer limitou-se a dizer que esta semana “só falou do Tondela” e que só agora vai começar a preparação para o Clássico. A verdade é que, caso vença esta segunda-feira frente ao Nacional, a equipa de Sérgio Conceição vai a Alvalade com oito pontos de vantagem sobre o Sporting e sem qualquer pressão. Já os leões, em caso de derrota no próximo sábado, parecem começar a dizer adeus à luta pelo título.