Startups

Fuel quer acelerar startups tecnológicas ou criativas: Candidaturas estão abertas

O programa vai apoiar até 100 ideias de negócio. Durante seis meses, os empreendedores vão trabalhar com especialistas e ter acesso a vários laboratórios e equipamentos das entidades envolvidas.

O programa de aceleração Fuel procura "empreendedores com ideias inovadoras em áreas de alta tecnologia e indústrias culturais e criativas"

Getty Images

O programa de aceleração de startups Fuel, promovido pelo Laboratório Ibérico Internacional de Nanotecnologia (INL), pelo Instituto Pedro Nunes (IPN) e pelo Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes (CeNTI) anunciou esta segunda-feira que está a receber candidaturas até 30 de janeiro para ideias inseridas nas áreas de tecnologias e indústrias criativas.

As três entidades responsáveis pelo programa procuram “empreendedores com ideias inovadoras em áreas de alta tecnologia e indústrias culturais e criativas”, esperando que a iniciativa consiga apoiar até 100 ideias de negócios. No entanto, apenas os oito melhores projetos vão poder beneficiar totalmente do programa, que dá acesso “a uma vasta rede de entidades do ecossistema de empreendedorismo nacional e internacional”.

Com este programa de aceleração, os empreendedores selecionados vão poder trabalhar durante seis meses um modelo de negócios com especialistas, além de poderem ter o “acesso gratuito a um grupo de empreendedores, indústrias criativas, mentores, especialistas em negócios e investidores”. Haverá também a possibilidade de trabalhar na produção de protótipos e validação do produto, ter acesso a laboratórios, equipamentos e recursos das entidades envolvidas e participar num roadshow — vários eventos pelo país — nos Estados Unidos da América.

O objetivo do programa, cofinanciado pela União Europeia no âmbito do Portugal 2020, passa por incentivar a novas ideias de negócio e promover o seu desenvolvimento “junto do ecossistema de empreendedorismo nacional e internacional”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
PCP

Patrão santo, funcionário posto fora da loja /premium

José Diogo Quintela

Estou chocado. Nunca pensei que o PCP não cumprisse a lei laboral. Mas o PCP está ainda mais chocado: nunca pensou ser obrigado a cumprir a lei laboral. É que escrevê-la é uma coisa, obedecê-la outra.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)