Algarve

Ocupação hoteleira no Algarve em dezembro é das maiores dos últimos 20 anos

A taxa de ocupação por quarto nas unidades hoteleiras do Algarve foi de 34% em dezembro, um dos valores mais elevados registados naquele mês nos últimos 20 anos.

A taxa de ocupação por quarto nas unidades hoteleiras do Algarve foi de 34% em dezembro, um dos valores mais altos registados naquele mês nos últimos 20 anos

PETER KOLLANYI/EPA

Autor
  • Agência Lusa

A taxa de ocupação por quarto nas unidades hoteleiras do Algarve foi de 34% em dezembro, um dos valores mais elevados registados naquele mês nos últimos 20 anos, de acordo com dados provisórios divulgados esta segunda-feira pela AHETA.

A taxa de ocupação global média por quarto foi 1,1 ponto percentual superior à de em dezembro de 2017, subida que é atribuída ao crescimento dos mercados francês, alemão e britânico, revela a Associação de Hotéis e Empreendimentos Turísticos do Algarve (AHETA).

O valor atingido no mês passado é um dos mais elevados comparativamente com o mesmo mês nos últimos 20 anos, mas ainda assim ficou abaixo dos 35,5% verificados em dezembro de 2016, segundo um gráfico com as variações no período entre 1996 e 2018 divulgado pela AHETA em comunicado.

De acordo com a maior associação local do setor, a subida verificada deveu-se sobretudo aos mercados francês (mais 18,5%), alemão (mais 10,2%) e britânico (mais 9,3%). O mercado holandês foi o que apresentou a maior descida (menos 18,8%), atenuando a subida verificada, nota a AHETA.

Desde o início do ano, a taxa de ocupação por quarto regista uma descida de 1,1% e o volume de negócios um aumento de 3,7%. Já o volume de vendas subiu 11,2% face ao período homólogo, conclui a AHETA.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Programa de Estabilidade

O “truque”de Mário Centeno

Inês Domingos

O programa de Estabilidade, mais do que previsões, apresenta-nos unicórnios alados, que servem lindamente para contar histórias às crianças, mas não são uma forma credível de preparar o futuro do país

Civilização

A evidência é desprezada?

António Cruz Gomes

Ainda que nascidos transitórios – para viver no mundo, com o mundo e pelo mundo – fomos indelevelmente marcados por uma aspiração transcendental.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)