Três pessoas morreram, uma delas menor, na tentativa de limpar os parques nacionais dos Estados Unidos deixados ao abandono há três semanas, quando o governo norte-americano declarou um “shutdown” parcial. Uma rapariga de 14 anos morreu a 21 de dezembro quando caiu de uma altura de 213 metros em Horseshoe Bend (Arizona). Quatro dias depois, no dia de Natal, um homem bateu com a cabeça e morreu no Parque Nacional Yosemite (Califórnia). E a 27 de dezembro, uma mulher morreu após ter sido atingida por uma árvore no Parque Nacional das Great Smoky Mountains (Tennessee e Carolina do Norte).

A notícia foi avançada pelo The Washington Post e confirmada por Jeremy Barnum, porta-voz do Serviço dos Parques Nacionais. Segundo ele, desde que o “shutdown” governamental começou já morreram sete pessoas nos parques nacionais norte-americanos, quatro das quais por suicídio. Apesar do Departamento do Interior ter suspendido as operações nesses locais — impedindo a manutenção, vigilância e a limpeza dos parques –, o diretor de orçamento da Casa Branca, Mick Mulvaney, e o então secretário do Interior, Ryan Zinke, decidiram em janeiro de 2018 manter os parques nacionais o mais acessíveis possível no caso de um “shutdown”.

O “shutdown” anunciado a 22 de dezembro de 2018, o terceiro desde que Donald Trump chegou à presidência dos Estados Unidos, deve-se a desentendimentos sobre o financiamento do muro que o presidente pretende construir na fronteira com o México. A paralisação está a fazer com que os jardins em Washington D.C. estejam a ficar cobertos de lixo porque ninguém o recolhe. As estradas junto aos parques nacionais estão cheias de garrafas de plástico e as casas de banho públicas estão inundadas por falta de manutenção.

Há grupos de voluntários que se organizaram para entrar nos locais, limpar as ruas e manter as visitas aos parques nacionais. Megan Edge é uma das pessoas que tem entrado no Joshua Tree para servir de guia para quem quiser visitar o parque: “Vivemos para este parque e tentamos cuidar dele”, disse ela ao The Guardian enquanto distribuía mapas pelos visitantes.

Ainda assim, os voluntários não estão a conseguir dar conta de tudo. E alguns acabam mortos por acidentes que, ao longo do ano, são responsáveis em média por seis mortes semanais nos parques nacionais norte-americanos. Andrew Muñoz, outro porta-voz do Serviço dos Parques Nacionais , explicou ao The Guardian: “Em Joshua Tree e Yosemite, os impactos do lixo humano são uma preocupação, que inclui pessoas que se aliviam em lugares públicos, como atrás de edifícios e nas estradas”.

Veja as imagens na fotogaleria.