Porsche

911 descapotável já é oficial. Desde 113.735€

105

Seis semanas após o coupé, eis que a Porsche dá conhecer a variante Cabriolet do 911, que abre e fecha a capota mais depressa que nunca. Também promete consumos mais comedidos e estreia o Wet Mode.

Desafiando as baixas temperaturas que se fazem sentir, a Porsche revelou a variante descapotável do 911, que soma aos atributos do icónico coupé alemão a possibilidade de rodar de cabelos ao vento. Mas as novidades não ficam por aqui.

Um novo sistema hidráulico permite, a velocidades até 50 km/h, agilizar a operação automática de abertura e fecho da capota. Esta é em tecido e integra uma janela traseira em vidro, sendo suportada por uma estrutura com arcos em magnésio, para que não haja deformação do revestimento a altas velocidades. Até 50 km/h, é possível abri-la ou fechá-la, sendo que o tempo necessário para o fazer baixou 12 segundos. Uma vez recolhida a capota, eleva-se atrás dos bancos um deflector de vento, para que condutor e passageiro viajem mais confortavelmente.

Prevendo-se que seja mais pesado que o coupé, por via dos reforços estruturais para compensar a ausência dos pilars B e C, além do tejadilho, o 911 Cabriolet surge com uma estética mais agressiva, embora sem perder de vista o clássico de 1963. Se a frente é 45 mm mais larga, o mesmo acontece com o eixo traseiro (44 mm), pelo que oferece uma imagem muito mais robusta. Mas também mais dinâmica, para o que contribuem cavas das rodas mais largas, a abrigar jantes de 20″ à frente e de 21″ atrás. E, pela primeira vez, o chassi desportivo Porsche Active Suspension Management (PASM) está disponível para o 911 Cabriolet.

O motor ao serviço das versões Carrera S e Carrera 4S é um boxer de seis cilindros opostos 3.0 turbo com 450 cv, disponíveis às 6.500 rpm, oferecendo 530 Nm de binário entre as 2.300 e as 5.000 rpm. A caixa é de dupla embraiagem com oito velocidades e a tracção é traseira ou integral (4S), sendo que agora a carroçaria é exactamente a mesma. Segundo a Porsche, os apoios do motor foram reposicionados, de maneira a que o Cabriolet resista melhor à torsão do que o seu antecessor. Por outro lado, a marca diz que o processo de injecção também foi revisto e os turbocompressores e sistema de arrefecimento do ar reconfigurados, o que se saldará em consumos mais contidos. Até que ponto, não é concretizado.

Em termos de prestações, o Carrera S vai de 0 a 100 km/h em 3,9 segundos e atinge uma velocidade máxima de 306 km/h, exigindo em troca 113.735€, só para início de conversa. Já os valores do 4S arrancam nos 120.335€, sendo que neste caso a velocidade máxima é inferior (304 km/h) e os 0-100 km/h alcançam-se em 3,8 segundos.

Já no que toca à tecnologia ao serviço do condutor, o destaque vai para a estreia do Wet Mode, funcionalidade incluída de série que detecta pisos com água e ajusta os controlos de tracção e estabilidade, alertando ainda o condutor. A assistência ao estacionamento, com câmara de marcha-atrás, e o sistema de detecção de veículos, peões e ciclistas com travagem de emergência, se houver risco de colisão, completam a configuração de fábrica. No interior, é de referir o ecrã central do Porsche Communication Management, que passa a ter 10,9″, sendo portanto bem maior do que na geração anterior (7,0 polegadas).

Comparador de carros novos

Compare até quatro, de entre todos os carros disponíveis no mercado, lado a lado.

Comparador de carros novosExperimentar agora

Agora que entramos em 2019...

...é bom ter presente o importante que este ano pode ser. E quando vivemos tempos novos e confusos sentimos mais a importância de uma informação que marca a diferença – uma diferença que o Observador tem vindo a fazer há quase cinco anos. Maio de 2014 foi ainda ontem, mas já parece imenso tempo, como todos os dias nos fazem sentir todos os que já são parte da nossa imensa comunidade de leitores. Não fazemos jornalismo para sermos apenas mais um órgão de informação. Não valeria a pena. Fazemos para informar com sentido crítico, relatar mas também explicar, ser útil mas também ser incómodo, ser os primeiros a noticiar mas sobretudo ser os mais exigentes a escrutinar todos os poderes, sem excepção e sem medo. Este jornalismo só é sustentável se contarmos com o apoio dos nossos leitores, pois tem um preço, que é também o preço da liberdade – a sua liberdade de se informar de forma plural e de poder pensar pela sua cabeça.

Se gosta do Observador, esteja com o Observador. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: scarvalho@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)