O Ministério da Justiça israelita informou que obteve um acordo judicial com um antigo ministro de Israel, acusado de espionagem para o Irão, e que irá cumprir 11 anos de prisão.

Num comunicado, o Ministério israelita explicou esta quarta-feira que Gonen Segev vai cumprir 11 anos de prisão após confessar que realizava espionagem e passava informações a um país inimigo.

Segundo a nota, o acordo judicial negociado entre os procuradores e o ex-ministro da Energia e Infraestruturas (do Governo de Yitzhak Rabin/1992-95) será apresentado a um juiz no próximo mês.

Gonen Segev foi acusado de fornecer informações ao Irão sobre o “mercado de energia e locais de segurança em Israel”. O antigo ministro já teve outros problemas com a justiça, já que foi preso em 2004 por tentar contrabandear 32 mil comprimidos de ecstasy da Holanda para Israel, usando um passaporte diplomático vencido e cumpriu pena de prisão por este crime.