Bruno Lage deve ficar no comando técnico do Benfica até ao final da temporada. De acordo com a TVI, o treinador vai passar de interino a efetivo depois do jogo da próxima sexta-feira, contra o Santa Clara, e esta é uma decisão tomada pessoalmente por Luís Filipe Vieira. O técnico português, que até aqui orientava a equipa B encarnada, substituiu Rui Vitória na passada semana, depois do despedimento do treinador ex-V. Guimarães, e venceu na estreia no comando do Benfica (4-2 em casa, frente ao Rio Ave).

Logo no dia em que a saída de Rui Vitória se tornou oficial, o Benfica remeteu qualquer anúncio sobre a contratação de um novo treinador para esta semana. À hipótese forte de um regresso de Jorge Jesus — que ganhava força com a possibilidade de rescisão do técnico português com o Al Hilal — juntou-se o nome de Luís Castro, atualmente no V. Guimarães, que recentemente rejeitou uma proposta dos ingleses do Reading, e ainda o de José Mourinho, para quem Luís Filipe Vieira garantiu “ter dinheiro” se este pretendesse voltar a Portugal. A confiança em Bruno Lage, que alcançou uma reviravolta louvável no jogo da última jornada, terá levado o presidente encarnado a ponderar a continuidade do treinador: facto que se alia, contudo, à dificuldade em contratar um nome de topo que cumpra os requisitos exigidos por Vieira.

Quanto à saída de Rui Vitória, depois da forma como foi gerida toda a situação há pouco mais de um mês, percebeu-se que existe um especial cuidado com os próximos passos a seguir na Luz. Vieira, que teve de voltar atrás na decisão que tomou quase sozinho de manter Rui Vitória, sabe bem o que quer e quem quer mas também tem noção do peso que a decisão, qualquer que seja, irá ter — tanto para o Benfica como no seu próprio mandato. Em paralelo, e tal como tinha acontecido no final de novembro, o líder encarnado entende que as más exibições que se foram sucedendo não se devem apenas a Vitória.

Rui Vitória, técnico que se sagrou bicampeão pelo Benfica e ganhou seis títulos nas últimas três épocas e meia, acabou por não resistir à derrota sofrida pelos encarnados em Portimão por 2-0. “A Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD informa, nos termos e para o efeito do disposto no artigo 248.º-A do Código dos Valores Mobiliários, que chegou a um princípio de acordo com o treinador Rui Carlos Pinho da Vitória para a rescisão do contrato de trabalho desportivo com efeitos imediatos”, comunicou o Benfica à CMVM pouco depois das 20h30 da passada quinta-feira, cerca de 15 minutos depois de começarem a sair as notícias sobre a possível saída.