Há mais de 300 processos disciplinares a militantes do Partido Socialista que podem terminar em expulsão do partido. Alguns desses militantes estão a antecipar a possível expulsão e já apresentaram cartas de demissão do partido, noticiou o Público. Braga é o distrito onde se preveem mais expulsões.

O problema começou com as eleições autárquicas de 2017, quando vários militantes do PS se candidataram contra as listas aprovadas pelo PS. Na altura, 320 militantes foram alvo de processos disciplinares que poderiam levar a uma suspensão provisória. Agora, em ano de eleições, a direção nacional propõe que a Comissão Nacional de Jurisdição expulse estes militantes, segundo o Público.

“Nunca ninguém foi sancionado ‘por delito de opinião’”, disse José Manuel Mesquita, do secretariado nacional do PS, ao Público. “Distinto é, no entanto, ter inscritos que se voluntariaram para disputar eleições em listas contrárias às aprovadas pelos órgãos próprios do partido e pretender que possam continuar a militar nele ‘como se nada se tivesse passado’.”