As prisões de Nova Iorque, nos Estados Unidos, têm menos de oito mil presos pela primeira vez em 40 anos, disse esta quinta-feira o autarca local, que reiterou a sua intenção de acabar com a “era dos encarceramentos em massa”.

O presidente da Câmara de Nova Iorque, Bill de Blasio, desde que chegou ao poder, tenta limitar o número de presos, reduzindo as detenções e optando por outro tipo de penas para os delitos menores, ao mesmo tempo que limita a aplicação da prisão preventiva.

Durante anos existiu nesta cidade a crença popular que só se conseguia uma cidade mais segura com base nas detenções, mas essa crença estava errada”, disse o autarca de Nova Iorque.

Segundo dados oficiais, em dezembro as prisões de Nova Iorque tinham uma média de 7.959 presos por dia, 11% a menos que um ano antes.

De Blasio disse esta quinta-feira que em 2018 o Departamento da Polícia de Nova Iorque realizou 140 mil detenções a menos do que no ano em que iniciou o seu mandato, em 2014.

Ao mesmo tempo, a segurança da cidade continua a melhorar, com crimes em mínimos históricos e com o menor número de homicídios desde 1951.

O objetivo de Nova Iorque, que tem mais de 8,6 milhões de habitantes, é reduzir a população detida abaixo das 5.000 pessoas.